CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

24 de fev de 2010

Descoberta estrada principal de Jerusalém do período bizantino


Os arqueólogos comunicaram que foram encontrados restos da estrada principal
(direção Leste-Oeste) do período Bizantino de Jerusalém.
Em latim essa estrada é conhecida como “Decumanus”.
Ela ía da atual Porta de Jafa até o centro da cidade.
A outra estrada principal (direção Sul-Norte), o Cardo, foi descoberta na década de 70.
O Decumanus é indicado no mapa de Madaba, um mosaico feito em 580 depois de Cristo com os lugares santos, entre os quais Jerusalém.
A estrada, pavimentada com grandes pedras, foi encontrada a 4,5 metros abaixo do atual nível do terreno.
A descoberta foi feita durante os trabalhos de restruturação da estrada que passa através da porta de Jafa
(veja as fotos aqui).
Devido ao volume de tráfico na área, nunca havia sido feita escavações anteriormente.

Fonte: Bible Places Blog
Outras fotos podem ser vistas através deste link que faz o dowload a um arquivo zipado, publicado pela Israel Antiquities Authority.

Cafarnaum - Às margens do Lago da Galiléia







É a cidade natal de Pedro e que se tornou, segundo os evangelhos, a "cidade de Jesus", durante a sua pregação

CORINTO






Corinto se encontra ao sul de Atenas.
Estima-se que na época de Paulo viviam na cidade cerca de 800 mil pessoas, sendo famosa pela imoralidade e pelo comércio.
Paulo viveu 18 meses nesta cidade durante a segunda viagem e alguns dizem que ficou 3 meses na terceira viagem.
As cartas escritas aos tessalonicenses e aos romanos podem ter sido escritas nesta cidade.
Escreveu 2 cartas à comunidade cristã desta cidade.

19 de fev de 2010

O Papel de Ezequiel como Atalaia de Israel (3:16-27)

A. A idéia de um profeta servir como vigia ou sentinela para avisar o povo de perigo iminente não foi nova em Ezequiel.
Encontramos a mesma imagem em profetas anteriores (Isaías 56:10; Oséias9:8;Habacuque 2:1)
B. Ezequiel recebeu a tarefa de avisar o povo das conseqüências dos seus atos
1. Se ele cumprisse este dever, ele viveria, independente da resposta dos ouvintes à
palavra
2. Se ele negligenciasse a sua responsabilidade e ficasse quieto sobre o pecado dos
outros, ele seria culpado pelo sangue dos condenados
C. Deus impeliu o profeta ao vale, onde falou com ele outra vez (3:22-27)
1. Mandou que Ezequiel se fechasse na sua casa, como se estivesse preso
2. Deus falou que o profeta ficaria mudo, podendo falar para o povo somente quando o
Senhor o determinasse (1 Pedro 4:11).
Pode ser que o silêncio de Ezequiel tenha sido eventual, alternando momentos em que Deus mandasse Ezequiel ora falar ora calar-se

Conclusão: Não é de admirar que Ezequiel tenha ficado atônito durante uma semana depois da visão da glória de Deus!
Ezequiel e os exilados de Judá devem ter sentido desespero quando ficaram afastados do templo, mas o profeta teve a consolação de ver o verdadeiro templo do Deus

Estudo do Livro de Ezequiel

A Visão da Glória de Deus:

Deus Envia um Profeta ao Seu Povo
(Ezequiel 1:1 - 3:27)
Os primeiros capítulos de Ezequiel são alguns dos mais impressionantes na Bíblia. Ezequiel
estava no exílio, num ambiente que poderia ter sido deprimente para este jovem sacerdote,
mas ele foi levado numa visão à presença do Senhor.
Ele se esforça para achar as palavras
para descrever as imagens que lhe foram apresentadas e consegue pintar um quadro em palavras que ainda cria nos leitores a admiração que ele sentiu pela glória de Deus.
Mas a visão de Deus não foi dada apenas para satisfazer algum anseio humano.
Esta visão serviu para passar para Ezequiel a sua tarefa de proclamar a mensagem de Deus ao povo rebelde de Israel.
Ele recebeu as instruções para agir com resistência e uma cabeça dura, cumprindo fielmente seu papel como o atalaia da casa de Israel.
Da chamada de Ezequiel, podemos aprender muito sobre a seriedade do nosso trabalho na divulgação do evangelho hoje.
I. A Visão da Glória de Deus (1:1-28)
A. A introdução ao livro (1:1-3)

1. No 30º ano (provavelmente da vida de Ezequiel
Ezequiel teve visões de Deus

2. Ele estava entre os exilados de Judá, no território babilônico junto ao rio Quebar
3. A referência mais específica do versículo 2 identifica a data inicial do trabalho de Ezequiel como 593 a.C., o quinto ano do cativeiro de Joaquim
4. Ezequiel, cujo nome significa “Deus fortalecerá”, era um sacerdote
B. Um vislumbre da glória de Deus (1:4-28)
1. É importante lembrar que Ezequiel nos dá uma imagem visual.
Devemos focalizar a imagem toda, e não nos perdermos com pormenores
2. Inicialmente, ele viu a imagem chegando de um lugar distante (1:4). Ele a descreve
como um vento tempestuoso e uma grande nuvem envolvida em fogo com uma luz
brilhante irradiando do meio dela
3. Quando a nuvem se aproxima, ele a descreve com mais detalhes (1:5-28)
a. A semelhança de quatro seres viventes saía do meio da nuvem (1:5;Apocalipse 4:6-9)
1) Cada ser vivente tinha quatro rostos – de homem, leão, boi e águia (1:6,10)
2) Cada um tinha quatro asas (1:6,11; Iaías 6:2; Apocalipse 4:8)
3) Eles tinham quatro pernas direitas, que pareciam com pés de um bezerro feitos
de bronze polido (1:7)
4) Tinham mãos de homem nos quatro lados, debaixo das asas (1:8)
5) Tinham a aparência de tochas, fogo e relâmpagos (1:13,14)
6) Cada ser tinha uma roda que parecia com uma roda dentro da outra (1:15-21)
a) Com estas rodas, os seres viventes movimentavam-se em qualquer direção
sem a necessidade de se virarem (1:17,9,12,14,20)
b) O movimento deles não estava restrito a terra; também se elevavam da
terra (1:19,21)
c) As rodas tinham olhos ao redor (1:18; Apocalipse 4:8)
7) Quando consideramos estes seres viventes, junto com as referências relevantes
em outras passagens, podemos chegar a algumas conclusões:
a) Que estes seres são de uma posição muito alta, talvez as maiores
criaturas no céu.
Parece que sempre estão na presença imediata de Deus,
totalmente dedicados ao serviço dele
b) Que eles têm uma relação com o mundo inteiro.
As descrições dos seres viventes e de suas posições sugerem a capacidade deles em enxergar tudo e movimentar-se livremente em qualquer direção.
Tais capacidades enfatizam os atributos divinos de onisciência e onipresença
b. Os seres viventes evidentemente apóiam uma plataforma (firmamento) com a
aparência de cristal brilhante (1:22; Êxodo 24:10; Apocalipse 4:6)
1) Quando movimentaram este firmamento, fizeram um barulho forte, sugerindo
o poder da voz de Deus (1:24)
2) De cima do firmamento, veio uma voz (1:-24-25).
Ezequiel não diz especificamente que era a voz de Deus, mas o contexto e a descrição seguida do trono sugere claramente ser a voz do Senhor.
Quando a voz falou, os seres viventes se mostraram totalmente sujeitos à autoridade divina
c. Quando Ezequiel olha para cima do firmamento, ele vê a imagem maravilhosa da
presença de Deus.
Ele parece incapaz ou hesita em olhar bem para a pessoa em cima do trono (1:26-28)
1) Uma figura parecida com um homem estava sentada no trono
2) O resplendor de fogo e metal brilhante emanava do trono.
O resplendor era semelhante a um arco-íris ao redor do trono (Apocalipse 4:3)
d. Ezequiel foi consumido com reverência, talvez com medo, quando viu a aparência
da glória de Deus.
Ele caiu com o rosto em terra até ouvir a voz de Deus ( Daniel 8:17-18)
II. Deus Envia Ezequiel para Pregar ao Povo de Israel (2:1 - 3:15)
A. A chamada de Ezequiel veio quase 130 anos depois da queda do reino do Norte, que foi que foi conhecido como Israel.
Até este período, o termo Israel estava sendo usado novamente para se referir em geral ao povo escolhido de Deus.
O trabalho de Ezequiel seria principalmente relacionado ao povo de Judá, o reino do Sul, especialmente aos judeus que haviam sido levados ao cativeiro na Babilônia
B. O Espírito de Deus pôs Ezequiel em pé para ouvir as instruções de Deus (2:1-2). Deus chama Ezequiel de “Filho do homem” (2:1)
1. Esta expressão aparece 93 vezes em Ezequiel, quase a metade das ocorrências dela
em toda a Bíblia. No Antigo Testamento, aparece poucas vezes antes de Ezequiel (nos
livros de Jó, Salmos e Isaías) e duas vezes em Daniel.
No Novo Testamento, se tornou uma descrição comum de Jesus nos quatro relatos do evangelho, e aparece raramente no resto do Novo Testamento (Atos 7:56; Hebreus 2:6; Apocalipse 1:13;4:14)
2. Em Ezequiel, este termo mostra a posição do profeta como homem em contraste
evidente com Deus.
É uma expressão referente à humanidade do profeta,subordinado claramente ao Criador O Soberano Deus.
C. Deus instrui Ezequiel a ser forte na sua tarefa de enfrentar o povo rebelde e teimoso da casa de Israel (2:3 - 3:15)
1. O fato de Deus dirigir a mensagem “à casa de Israel” tem sido usado por alguns
para concluir que Ezequiel deve ter pregado em Jerusalém.
Mas, este fato não é suficiente para chegar a tal conclusão, por vários motivos:
a. Uma boa parte da casa de Israel já tinha sido deportada à Babilônia, e foi
totalmente apropriado para Deus dirigir sua mensagem a esses exilados (3:11)
b. Outras pessoas poderiam ter levado a mensagem de Ezequiel a Jerusalém sem o
próprio profeta chegar ao local
c. Todas as referências no livro ao local colocam Ezequiel entre os cativos na
Babilônia.
Simplesmente não há base no livro para dizer que ele tenha voltado para
Jerusalém
2. Ezequiel recebeu a responsabilidade de pregar, independente da reação ou resposta
do povo à mensagem (2:3-7)
3. Deus, então, deu-lhe uma ordem – de comer um rolo (livro) – com a advertência de
não se mostrar rebelde como a casa de Israel (2:8 - 3:3)
a. Nos dois lados do rolo foram escritas palavras de lamentações, suspiros e ais.
Assim, Deus revelou de antemão a natureza da missão de Ezequiel
b. O sabor era doce, como mel (cf. Apocalipse 10:8-11)
c. Ezequiel, como outros profetas, aceitou a responsabilidade de pregar a palavra,
reconhecendo sua obrigação de falar (cf. 3:10; Jeremias 20:9; Atos 4:20)
4. Ezequiel foi enviado para pregar as palavras de Deus (3:4; cf. 3:1) à casa de Israel, com
plena compreensão do fato que ele seria rejeitado pelos seus compatriotas (3:4-11)
5. A visão terminou com a saída de Deus da mesma maneira que ele havia chegado
(3:12-13)
6. Ezequiel voltou ao seu lugar entre os exilados em Tel-Abibe (3:14-15)
a. Ele sentiu amargura e excitação no seu espírito.
Há várias explicações possíveis:
1) Raiva ou ressentimento por ter recebido uma tarefa tão difícil sem esperança
de aceitação pelo povo
2) Frustração por não ter mais a visão da glória de Deus
3) Um sentimento forte de indignação e justiça, compartilhando da ira de Deus
para com o povo pecaminoso de Israel.
Esta explicação parece ser a melhor em relação ao texto e em comparação com as experiências de outros profetas (Jeremias 6:11 e considere a amargura da missão de João em Apocalipse 10:8-11)
b. Depois da sua grande visão, Ezequiel ficou esgotado emocionalmente e assentouse,
atônito, em Tel-Abibe

O MINISTÉRIO DO PROFETA EZEQUIEL

ARREPENDIMENTO
Ezequiel começou seu ministério público quando uma boa parte de Judá estava em cativeiro em Babilônia
Neste período todo, sua vocação era pregar ARREPENDIMENTO aos exilados no Cativeiro, e aos judeus que ficaram em Jerusalém, avisando que a destruição da cidade era certa se o povo não se arrependesse de sua idolatria.
SEU MINISTÉRIO APÓS A QUEDA DE JERUSALÉM: CONSOLAR os arrependidos e FORMAR entre eles um grupo que voltaria para reedificar Jerusalém

Depois da queda de Jerusalém, em 597 a.C., o povo de Judá reconheceu, tarde demais, que havia merecido o castigo divino. Daí o ministério de Ezequiel passou a ser outro: CONSOLAR os arrependidos e FORMAR entre eles UM GRUPO que, um dia, voltaria a Jerusalém para reedificá-la, segundo a vontade divina, como sede política e religiosa de um verdadeiro povo de Deus.

Ezequiel 3

1-Depois me disse: Filho do homem, come o que achares; come este rolo, e vai, fala à casa de Israel.
2-Então abri a minha boca, e me deu a comer o rolo.
3-E disse-me: Filho do homem, dá de comer ao teu ventre, e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou. Então o comi, e era na minha boca doce como o mel.
4-E disse-me ainda: Filho do homem, vai, entra na casa de Israel, e dize-lhe as minhas palavras.
5-Porque tu não és enviado a um povo de estranha fala, nem de língua difícil, mas à casa de Israel;
6-Nem a muitos povos de estranha fala, e de língua difícil, cujas palavras não possas entender; se eu aos tais te enviara, certamente te dariam ouvidos.
7-Mas a casa de Israel não te quererá dar ouvidos, porque não me querem dar ouvidos a mim; pois toda a casa de Israel é de fronte obstinada e dura de coração.
8-Eis que fiz duro o teu rosto contra os seus rostos, e forte a tua fronte contra a sua fronte.
9-Fiz como diamante a tua fronte, mais forte do que a pederneira; não os temas, pois, nem te assombres com os seus rostos, porque são casa rebelde.
10-Disse-me mais: Filho do homem, recebe no teu coração todas as minhas palavras que te hei de dizer, e ouve-as com os teus ouvidos.
11-Eia, pois, vai aos do cativeiro, aos filhos do teu povo, e lhes falarás e lhes dirás: Assim diz o Senhor DEUS, quer ouçam quer deixem de ouvir.
12-E levantou-me o Espírito, e ouvi por detrás de mim uma voz de grande estrondo, que dizia: Bendita seja a glória do SENHOR, desde o seu lugar.
13-E ouvi o ruído das asas dos seres viventes, que tocavam umas nas outras, e o ruído das rodas defronte deles, e o sonido de um grande estrondo.
14-Então o espírito me levantou, e me levou; e eu me fui amargurado, na indignação do meu Espírito; porém a mão do SENHOR era forte sobre mim.
15-E fui a Tel-Abibe, aos do cativeiro, que moravam junto ao rio Quebar, e eu morava onde eles moravam; e fiquei ali sete dias, pasmado no meio deles.
16-E sucedeu que, ao fim de sete dias, veio a palavra do SENHOR a mim, dizendo:
17-Filho do homem: Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisá-los-ás da minha parte.
18-Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; e tu não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei.
19-Mas, se avisares ao ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu mau caminho, ele morrerá na sua iniqüidade, mas tu livraste a tua alma.
20-Semelhantemente, quando o justo se desviar da sua justiça, e cometer a iniqüidade, e eu puser diante dele um tropeço, ele morrerá: porque tu não o avisaste, no seu pecado morrerá; e suas justiças, que tiver praticado, não serão lembradas, mas o seu sangue, da tua mão o requererei.
21-Mas, avisando tu o justo, para que não peque, e ele não pecar, certamente viverá; porque foi avisado; e tu livraste a tua alma.
22-E a mão do SENHOR estava sobre mim ali, e ele me disse: Levanta-te, e sai ao vale, e ali falarei contigo.
23-E levantei-me, e saí ao vale, e eis que a glória do SENHOR estava ali, como a glória que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto.
24-Então entrou em mim o Espírito, e me pôs em pé, e falou comigo, e me disse: Entra, encerra-te dentro da tua casa.
25-E quanto a ti, ó filho do homem, eis que porão cordas sobre ti, e te ligarão com elas; não sairás, pois, ao meio deles.
26-E eu farei que a tua língua se pegue ao teu paladar, e ficarás mudo, e não lhes servirás de repreendedor; porque eles são casa rebelde.
27-Mas, quando eu falar contigo, abrirei a tua boca, e lhes dirás: Assim diz o Senhor DEUS: Quem ouvir ouça, e quem deixar de ouvir, deixe; porque eles são casa rebelde.

Ezequiel 2

1-E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo.
2-Então entrou em mim o Espírito, quando ele falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava.
3-E disse-me: Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra mim; eles e seus pais transgrediram contra mim até este mesmo dia.
4-E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor DEUS.
5-E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber, contudo, que esteve no meio deles um profeta.
6-E tu, ó filho do homem, não os temas, nem temas as suas palavras; ainda que estejam contigo sarças e espinhos, e tu habites entre escorpiões, não temas as suas palavras, nem te assustes com os seus semblantes, porque são casa rebelde.
7-Mas tu lhes dirás as minhas palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes.
8-Mas tu, ó filho do homem, ouve o que eu te falo, não sejas rebelde como a casa rebelde; abre a tua boca, e come o que eu te dou.
9-Então vi, e eis que uma mão se estendia para mim, e eis que nela havia um rolo de livro.
10-E estendeu-o diante de mim, e ele estava escrito por dentro e por fora; e nele estavam escritas lamentações, e suspiros e ais.

Ezequiel 1

1-E aconteceu no trigésimo ano, no quarto mês, no quinto dia do mês, que estando eu no meio dos cativos, junto ao rio Quebar, se abriram os céus, e eu tive visões de Deus.
2-No quinto dia do mês, no quinto ano do cativeiro do rei Jeoiaquim,
3-Veio expressamente a palavra do SENHOR a Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar, e ali esteve sobre ele a mão do SENHOR.
4-Olhei, e eis que um vento tempestuoso vinha do norte, uma grande nuvem, com um fogo revolvendo-se nela, e um resplendor ao redor, e no meio dela havia uma coisa, como de cor de âmbar, que saía do meio do fogo.
5-E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes.
E esta era a sua aparência: tinham a semelhança de homem.
6-E cada um tinha quatro rostos, como também cada um deles quatro asas.
7-E os seus pés eram pés direitos; e as plantas dos seus pés como a planta do pé de uma bezerra, e luziam como a cor de cobre polido.
8-E tinham mãos de homem debaixo das suas asas, aos quatro lados; e assim todos quatro tinham seus rostos e suas asas.
9-Uniam-se as suas asas uma à outra; não se viravam quando andavam, e cada qual andava continuamente em frente.
10-E a semelhança dos seus rostos era como o rosto de homem; e do lado direito todos os quatro tinham rosto de leão, e do lado esquerdo todos os quatro tinham rosto de boi; e também tinham rosto de águia todos os quatro.
11-Assim eram os seus rostos. As suas asas estavam estendidas por cima; cada qual tinha duas asas juntas uma a outra, e duas cobriam os corpos deles.
12-E cada qual andava para adiante de si; para onde o espírito havia de ir, iam; não se viravam quando andavam.
13-E, quanto à semelhança dos seres viventes, o seu aspecto era como ardentes brasas de fogo, com uma aparência de lâmpadas; o fogo subia e descia por entre os seres viventes, e o fogo resplandecia, e do fogo saíam relâmpagos;
14-E os seres viventes corriam, e voltavam, à semelhança de um clarão de relâmpago.
15-E vi os seres viventes; e eis que havia uma roda sobre a terra junto aos seres viventes, uma para cada um dos quatro rostos.
16-O aspecto das rodas, e a obra delas, era como a cor de berilo; e as quatro tinham uma mesma semelhança; e o seu aspecto, e a sua obra, era como se estivera uma roda no meio de outra roda.
17-Andando elas, andavam pelos seus quatro lados; não se viravam quando andavam.
18-E os seus aros eram tão altos, que faziam medo; e estas quatro tinham as suas cambotas cheias de olhos ao redor.
19-E, andando os seres viventes, andavam as rodas ao lado deles; e, elevando-se os seres viventes da terra, elevavam-se também as rodas.
20-Para onde o espírito queria ir, eles iam; para onde o espírito tinha de ir; e as rodas se elevavam defronte deles, porque o espírito do ser vivente estava nas rodas.
21-Andando eles, andavam elas e, parando eles, paravam elas e, elevando-se eles da terra, elevavam-se também as rodas defronte deles; porque o espírito do ser vivente estava nas rodas.
22-E sobre as cabeças dos seres viventes havia uma semelhança de firmamento, com a aparência de cristal terrível, estendido por cima, sobre as suas cabeças.
23-E debaixo do firmamento estavam as suas asas direitas uma em direção à outra; cada um tinha duas, que lhe cobriam o corpo de um lado; e cada um tinha outras duas asas, que os cobriam do outro lado.
24-E, andando eles, ouvi o ruído das suas asas, como o ruído de muitas águas, como a voz do Onipotente, um tumulto como o estrépito de um exército; parando eles, abaixavam as suas asas.
25-E ouviu-se uma voz vinda do firmamento, que estava por cima das suas cabeças; parando eles, abaixavam as suas asas.
26-E por cima do firmamento, que estava por cima das suas cabeças, havia algo semelhante a um trono que parecia de pedra de safira; e sobre esta espécie de trono havia uma figura semelhante à de um homem, na parte de cima, sobre ele.
27-E vi-a como a cor de âmbar, como a aparência do fogo pelo interior dele ao redor, desde o aspecto dos seus lombos, e daí para cima; e, desde o aspecto dos seus lombos e daí para baixo, vi como a semelhança de fogo, e um resplendor ao redor dele.
28-Como o aspecto do arco que aparece na nuvem no dia da chuva, assim era o aspecto do resplendor em redor.
Este era o aspecto da semelhança da glória do SENHOR; e, vendo isto, caí sobre o meu rosto, e ouvi a voz de quem falava.

6 de fev de 2010

O que acontece quando uma pessoa morre?

ENFRENTANDO DESTEMIDAMENTE A MORTE

Todos nós, em determinados momentos, talvez pouco depois do falecimento de um amigo ou pessoa querida, temos a sensação de um vazio no coração, um sentimento de solidão que toma conta de nós e que nos conscientiza da finitude da vida.
Com respeito a um assunto tão importante, tão cheio de emoções, onde podemos aprender a verdade sobre o que acontece quando morremos?
Felizmente, parte da missão de Cristo aqui na terra foi libertar "aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte"
(Hebreus 2:15).
Na Bíblia, Jesus apresenta mensagens confortadoras, e responde claramente a todas as nossas perguntas sobre a morte e a vida futura.

2. A MANEIRA QUE FOMOS FEITOS POR DEUS

Para entender a verdade sobre a morte na Bíblia, precisamos começar do princípio e ver de que maneira fomos feitos por Deus.

"Então o Senhor Deus formou o homem [adam, hebraico] do PÓ DA TERRA [adamah, hebraico] e soprou em suas narinas O FÔLEGO DE VIDA, e o homem se tornou UM SER VIVENTE [ALMA, hebraico]".
Gênesis 2:7
Na Criação, Deus formou Adão do "pó da terra".
Ele tinha um cérebro em sua cabeça pronto para pensar; sangue em suas veias pronto para correr.
Então, Deus soprou em suas narinas o "fôlego de vida", e Adão se tornou "ser vivente" [em hebraico, alma vivente].
Note cuidadosamente que a Bíblia não diz que Adão recebeu uma alma; ao invés, diz que "o homem se tornou uma alma vivente".
Quando Deus deu o fôlego de vida a Adão, a vida começou a fluir de Deus.
A junção do corpo com o "fôlego de vida" tornou Adão "um ser vivente", "uma alma vivente".
Por essa razão, poderíamos escrever a equação fundamental do ser humano da seguinte maneira:

"Pó da Terra" + "Fôlego de Vida" = "Alma Vivente"
Corpo sem Vida + Fôlego de Deus = Ser Vivente

Cada um de nós tem um corpo e uma mente racional.
Enquanto continuarmos a respirar, seremos seres vivos, alma vivente.

3. O QUE ACONTECE QUANDO UMA PESSOA MORRE?

Na morte reverte-se do processo criativo descrito em Gênesis 2:7:
"O PÓ volte à terra de onde veio, e o ESPÍRITO [fôlego de vida] volte a Deus, que o deu".
Eclesiastes 12:7
A Bíblia freqüentemente usa as palavras hebraicas para "fôlego" e "espírito" alternadamente.
Quando as pessoas morrem, o corpo se torna "pó", e o "espírito" (o "fôlego de vida") retorna para Deus, que foi a sua fonte.
Mas o que acontece com a alma?
"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus,... todas as ALMAS são minhas;... a alma que pecar, essa morrerá".
Ezequiel 28:3, 4;
A alma morre!
Ela ainda não é imortal; ela pode perecer.

A equação derivada de Gênesis 2:7, ao sermos feitos por Deus, faz o caminho reverso na morte.

"Pó da Terra" - "Fôlego de Vida" = "Uma Alma Morta"
Corpo Sem Vida - Fôlego de Deus = Um Ser Morto
A morte é a cessação da vida.
O corpo se desintegra e se torna pó, e o fôlego, ou espírito, volta para Deus.
Somos uma alma com vida, mas na morte, nos tornamos apenas um cadáver, uma alma morta, um ser morto.
Logo, os mortos não estão conscientes.
Quando Deus toma para si o fôlego de vida que Ele nos deu, nossa alma morre.
Mas, como veremos mais tarde nessa mesma lição, temos esperança com Cristo.

4. QUANTO SABE UMA PESSOA MORTA?

Depois da morte, o cérebro se desintegra; ele não tem capacidade de saber ou relembrar de coisa alguma.
Todas as emoções humanas cessam.
"Para eles, o amor, o ódio e a inveja há muito desapareceram...".
Eclesiastes 9:6
Uma pessoa morta não fica consciente, por isso não percebe nada do que está acontecendo.
Eles simplesmente não têm contato algum com os vivos:
"Pois os vivos sabem que morrerão, mas OS MORTOS NADA SABEM".
Eclesiastes 9:5
A morte é como um sono sem sonho; na verdade, a Bíblia chama a morte de "sono" em 54 vezes.
Jesus ensinou que a morte é como um sono.
Ele disse aos Seus discípulos:

"'Nosso amigo LÁZARO ADORMECEU, mas vou até lá para acordá-lo.
Seus discípulos responderam: Senhor, se ele dorme, vai melhorar.
Jesus tinha falado da sua morte, mas os seus discípulos pensaram que ele estava falando simplesmente do sono.
Então lhes disse claramente: 'LÁZARO MORREU'".
João 11:11-14
Lázaro já estava morto por quatro dias quando Jesus chegou.
Mas quando se dirigiram à tumba, Jesus provou que é tão fácil para Deus ressuscitar alguém dos mortos quanto é para nós acordar alguém que esteja dormindo.
É muito confortador saber que nossos amados que já faleceram estão "dormindo", descansando em paz na confiança em Jesus.
O túnel da morte, que nós mesmos poderemos atravessar algum dia, é um sono calmo e paz absoluta.

DEUS SE ESQUECE DOS QUE ESTÃO DORMINDO O SONO DA MORTE?
O sono da morte não é o fim da história.
Na tumba, Jesus disse a Marta, irmão de Lázaro:
"EU SOU A RESSURREIÇÃO e a vida.
AQUELE QUE CRÊ EM MIM, AINDA QUE MORRA, VIVERÁ".
João 11:25
Aqueles que morrem "em Cristo" dormem na sepultura, mas ainda têm um futuro brilhante.
Aquele que conta até mesmo os cabelos de nossa cabeça e que nos guarda na palma de Sua mão não se esquecerá de nós.
Poderemos morrer e voltar ao pó, mas o registro de nossa individualidade permanece claro na mente de Deus.
E quando Jesus vier, Ele acordará os justos mortos do sono da morte, da mesma forma que fez com Lázaro.
"Não queremos que vocês sejam ignorantes quanto AOS QUE DORMEM, PARA QUE NÃO SE ENTRISTEÇAM COMO OS OUTROS QUE NÃO TÊM ESPERANÇA... Pois dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, E OS MORTOS EM CRISTO RESSUSCITARÃO PRIMEIRO.
Depois NÓS, OS QUE ESTIVERMOS VIVOS, SEREMOS ARREBATADOS COM ELES nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares.
E assim estaremos com o Senhor para sempre.
CONSOLEM-SE UNS AOS OUTROS COM ESSAS PALAVRAS".
I Tessalonicenses 4:13, 16-18
No dia da ressurreição, o túnel da morte se parecerá mais com um breve descanso.
Os mortos não têm consciência do que está acontecendo.
Aqueles que aceitaram a Cristo como seu Salvador, serão despertados do sono pela Sua maravilhosa voz vinda dos céus.
E a esperança da ressurreição não é a única: temos também a esperança de um lar celestial no qual Deus "enxugará dos seus olhos toda lágrima.
Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor" (Apocalipse 21:4).
Aqueles que amam a Deus não precisam ter medo da morte.
Além da morte está uma eternidade de vida plena com Deus.
Jesus tem "as chaves da morte" (Apocalipse 1:18).
Sem Cristo, a morte seria uma estrada de mão única que terminaria num estado total de esquecimento.
Mas em Cristo há uma esperança gloriosa e radiante.

6. SOMOS SERES IMORTAIS?

Quando Deus criou Adão e Eva, eles foram criados seres mortais, isso é, sujeitos à morte.
Se tivessem permanecido obedientes à vontade de Deus, eles nunca teriam morrido.
Mas quando pecaram, eles abriram mão de seu direito à vida.
Pela desobediência, eles ficaram sujeitos à morte.
O pecado deles infectou a raça humana inteira, e já que todos pecaram, todos somos mortais, sujeitos à morte (Romanos 5:12).
E não há numa pista na Bíblia de que a alma humana possa existir como uma entidade consciente após a morte.
A Bíblia nenhuma vez descreve a alma como sendo imortal, isso é, não sujeita à morte.
As palavras gregas e hebraicas para "alma", "espírito" e "fôlego" aparecem 1.700 vezes na Bíblia.
Mas nem mesmo uma vez a alma, o espírito ou o fôlego humano é chamado de imortal. Atualmente, apenas Deus possui a imortalidade.
"Deus... é... O ÚNICO QUE É IMORTAL".
I Timóteo 6:15, 16
As Escrituras deixam claro que as pessoas nessa vida são mortais: sujeitas à morte. Mas quando Jesus retornar, nossa natureza passará por uma mudança radical.
Eis que eu lhes digo um mistério: NEM TODOS DORMIREMOS, mas TODOS SEREMOS TRANSFORMADOS, num momento, num abrir e fechar de olhos, AO SOM DA ÚLTIMA TROMBETA. Pois a trombeta soará, OS MORTOS RESSUSCITARÃO incorruptíveis, e NÓS SEREMOS TRANSFORMADOS.
Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e O QUE É MORTAL, DE IMORTALIDADE".
I Coríntios 15:51-53
Como seres humanos, não somos imortais.
Mas a segurança do cristão é que nos tornaremos imortais quando Jesus vier a segunda vez a essa terra.
A certeza da promessa da imortalidade foi demonstrada quando Jesus irrompeu para fora de Sua tumba e:
"TORNOU INOPERANTE A MORTE e TROUXE À LUZ A VIDA E A IMORTALIDADE por meio do evangelho".
II Timóteo 1:10
A perspectiva de Deus sobre o destino humano é clara: morte eterna para aqueles que rejeitarem a Cristo e se apegarem a seus pecados, ou o dom da imortalidade quando Jesus vier para buscar aqueles que O aceitaram como Senhor e Salvador.

7. ENFRENTANDO A MORTE DE UMA PESSOA QUERIDA

Os medos com os quais naturalmente lutamos quando nos vemos em face da morte se tornam especialmente dolorosos quando alguém de quem gostamos morre.
A solidão e o sentimento de perda podem ser dominantes.
A única solução para a angústia causada pela separação de uma pessoa amada é o conforto que apenas Cristo pode dar.
Lembre-se que nossos queridos estão dormindo, e que nossos amados que descansam serão ressuscitados por Jesus na "ressurreição para a vida" quando Ele vier.
Deus está planejando algumas reuniões maravilhosas.
Os filhos serão devolvidos a seus pais, maridos e mulheres se entregarão a um terno e caloroso abraço.
As separações cruéis da vida estarão terminadas.
"A morte foi destruída pela vitória".
(I Coríntios 15:54).
Alguns acham tão dolorosa a separação de seus queridos que morreram que tentam fazer contacto com eles através de médiuns espiritualistas ou pessoas da Nova Era que se denominam canais de comunicação com os espíritos.
A Bíblia nos dá um aviso muito especial sobre as tentativas de aliviar a dor da morte dessa maneira:
"Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus?
A favor dos vivos se consultarão os mortos?
" Isaías 8:19
De fato, por quê?
A Bíblia claramente revela que os mortos não têm consciência de nada.
A verdadeira solução para a angústia causada pela separação das pessoas amadas é o conforto que apenas Cristo dá.
Passar tempo se comunicando com Cristo é a maneira mais saudável para crescer durante os momentos de aflição.
Lembre-se sempre que a próxima impressão consciente que virá aos que morrem em Cristo será o som da Segunda Vinda de Cristo despertando os mortos!

8. ENFRENTANDO DESTEMIDAMENTE A MORTE

A morte nos rouba praticamente tudo.
Mas uma coisa que ela não pode tirar de nós é a confiança em Cristo, e Cristo pode colocar tudo de volta a seu lugar.
A morte nem sempre reinará nesse mundo. O diabo, os ímpios, a morte, e o túmulo perecerão no "lago de fogo" que é "a segunda morte"
(Apocalipse 20:14).
Aqui estão quatro sugestões simples para enfrentar destemidamente a morte:

(1) Viva uma vida confiando verdadeiramente na esperança que Cristo dá, e você estará preparado para morrer a qualquer momento.

(2) Através do poder do Espírito Santo, seja obediente aos mandamentos de Deus, e você estará preparado para a segunda vinda, à partir da qual você nunca mais morrerá.

(3) Pense na morte como um curto tempo de sono do qual você será acordado pela voz de Jesus quando Ele vier a segunda vez.

(4) Aprecie a certeza que Jesus nos dá de que teremos um lar celestial com Ele por toda eternidade.

A verdade bíblica liberta uma pessoa do medo da morte porque revela a Jesus, o único que nem mesmo a morte conseguiu vencer.
Quando Jesus entra em nossa vida, Ele faz nosso coração transbordar com paz:

"Deixo-lhes a paz; a Minha paz lhes dou... Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo".
João 14:27
Jesus também nos ajuda a lidar com a tragédia de perder alguém muito estimado.
Jesus andou pelo "vale da sombra da morte"; Ele conhece as densas trevas que temos que atravessar.

"Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, POR SUA MORTE, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o Diabo, e LIBERTASSE AQUELES QUE DURANTE TODA A VIDA ESTIVERAM ESCRAVIZADOS PELO MEDO DA MORTE".
Hebreus 2:14, 15
Dr. James Simpson, o grande médico que desenvolveu a anestesia, experimentou uma terrível perda quando seu filho mais velho morreu.
Ele sofreu profundamente, como qualquer pai sofreria.
Então, ele descobriu um caminho de esperança.
No túmulo de seu amado filho, ele erigiu uma lápide e nela escreveu umas palavras que demonstravam Sua esperança e fé nas promessas de Jesus: "Apesar de tudo, Ele vive".
Isso diz tudo.
Algumas vezes, uma tragédia pessoal pode aparecer repentinamente vindo do céu; apesar disso, Jesus vive! Nossos corações podem estar feridos; apesar de tudo, Jesus vive!
Em Cristo, temos esperança de vida após a morte.
Ele é "a ressurreição e a vida" (João 11:25), e Ele promete: "Porque Eu vivo, vocês também viverão" (João 14:19).
Cristo é nossa única esperança para a vida após a morte.
E quando Cristo retornar, Ele nos dará a imortalidade.
Nunca mais viveremos sob a sombra da morte, por teremos vida eterna.
Você já descobriu em sua vida a realidade dessa grande esperança que pode nos ajudar a enfrentar os momentos mais difíceis?
Se você nunca aceitou a Jesus como seu Senhor e Salvador, por que você não faz isso agora mesmo?

QUAL É A RELIGIÃO QUE SALVA?

Jesus é o único caminho para a salvação.

"Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos".
Atos 4:12
A Bíblia claramente afirma que estamos perdidos no pecado.
Assim, estamos sujeitos à pena do pecado: a morte (Romanos 6:23).
Todos pecaram (Romanos 3:23), por isso, todos estão sujeitos à morte.
Jesus é o Único não há nenhum outro que pode nos resgatar da condenação do pecado.

"Todo aquele que olhar para o Filho e nEle crer tenha a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia". J
João 6:40

Há apenas uma religião verdadeira:

"Há um só Senhor, UMA SÓ FÉ, um só batismo".
Efésios 4:5

2. SERÁ QUE DEUS TEM UMA MENSAGEM ESPECIAL PARA OS CRITÃOS DOS ÚLTIMOS DIAS?

Sim.
Essa mensagem está dividida em três partes e aparece em Apocalipse 14:6-16.
A proclamação dessas mensagens dadas por três anjos culmina com a segunda vinda de Cristo (versos 14-16).

(1) A MENSAGEM DO PRIMEIRO ANJO
"Então vi outro anjo, que voava pelo céu e tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo.
Ele disse em alta voz: 'Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas'". Apocalipse 14:6, 7.
Apesar das Escrituras retratarem essas três mensagens através da simbologia de três anjos, na verdade é o povo de Deus que apresenta essas mensagens ao mundo.
Eles não proclamam um novo evangelho, mas o "evangelho eterno", ao mundo inteiro, "cada nação, tribo, língua e povo".
O "evangelho eterno" de Jesus é a mesma mensagem de salvação que as pessoas no Velho Testamento aceitaram "pela fé" (Hebreus 3:16-19; 4:2; 11:1-40), o mesmo ensino que o próprio Jesus proclamou, o mesmo evangelho que os discípulos pregaram para conquistar o mundo para Cristo, o mesmo evangelho que tem sido anunciado pelos séculos da era cristã.
O evangelho de Jesus Cristo que oferece a salvação de forma simples quase desapareceu da igreja por mais de mil anos, durante a Idade das Trevas.
Mas, a Reforma o reavivou e o povo de Deus prega isso ao redor do mundo hoje.
O primeiro anjo proclama essa mesma mensagem do evangelho, mas sob uma nova abrangência: uma abrangência mundial, para chegar a todas as pessoas que vivem pouco antes da segunda vinda de Jesus.
Aqueles que aceitam essa mensagem são chamados para "temerem a Deus e glorificá-lO [refletir Seu caráter]".
Eles mostram ao mundo o caráter de amor de Deus, não apenas por suas palavras, mas também por sua vida, através de um testemunho dinâmico.
Eles apresentam uma vibrante revelação do que Deus pode fazer através das pessoas que estão cheias do Espírito de Cristo.
Quando essa mensagem dos três anjos deve ser proclamada ao redor do mundo?
Quando a hora do juízo de Deus tiver chegado.
Jesus começou o trabalho do Seu juízo pré-advento em 1844.
Naquele mesmo ano, 1844, Jesus inspirou pessoas ao redor do mundo a começarem a pregar a mensagem de Apocalipse 14.
Essa mensagem nos conclama a "adorar Aquele que fez os céus, e a terra".
(Apocalipse 14:7).
Deus nos pede para lembrar do sábado "para o santificar", porque "em seis dias o Senhor fez os céus e a terra" (Êxodo 20:8-11).
Em 1844, quando Darwin estava propondo a teoria da evolução, Deus estava chamando Seu povo para voltarem a adorá-lO como Criador.
Naquela mesma época, os que estavam pregando a mensagem dos três anjos descobriram o sétimo dia, o sábado da Palavra de Deus, e começaram a guardá-lo em honra ao Criador dos céus e da terra.

(2) A MENSAGEM DO SEGUNDO ANJO
"Um segundo anjo o seguiu, dizendo: Caiu! Caiu a grande Babilônia que fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição!'".
Apocalipse 14:8
O segundo anjo alerta: "caiu a grande Babilônia".
Apocalipse 17 é uma imagem contrastante com a mulher pura de Apocalipse 12, que representa a verdadeira igreja cristã.
A mulher que representa Babilônia é uma mulher caída, que "fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição".
O vinho da doutrina falsa tem permeado essas formas adulteradas de cristianismo.
A mensagem do segundo anjo conclama o povo de Deus a resistir aos ensinos falsos de um cristianismo apostatado.
A Babilônia representa uma mistura de muitas formas de cristianismo apostatado.
Ela é muito perigosa porque distorce o verdadeiro caráter de Deus, e O apresenta em caricaturas: ou Deus é vingativo e exigente, ou Deus é um avô sentimental que é bondoso demais para se incomodar com quem peca.
Uma igreja saudável apresentará uma visão equilibrada de todos os atributos de Deus e mostrará como Sua justiça e misericórdia se combinam na afirmação de que Deus é amor.
Deus chama o povo para "sair" de Babilônia (18:4), para rejeitar os ensinos não bíblicos, e seguir os ensinamentos de Cristo.

(3) A MENSAGEM DO TERCEIRO ANJO
"Um terceiro anjo os seguiu, dizendo em alta voz: 'Se alguém adorar a besta e a sua imagem e receber a sua marca na testa ou na mão, também beberá do vinho do furor de Deus que foi derramado sem mistura no cálice da sua ira... Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite.
Aqui está a perseverança dos santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus".
Apocalipse 14:9-12
A mensagem do terceiro anjo divide o mundo inteiro em dois grupos.
De um lado se colocam os cristãos apóstatas que "adoram a besta e sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome".
Isso demanda uma resistência paciente por parte do santos que "obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus".
Note o contraste entre os dois grupos.
Aqueles que recebem a marca da besta são adoradores comprometidos que seguem idéias e práticas humanas.
Os "santos" têm traços distintos: "perseverança", obediência aos "mandamentos de Deus" e permanecer "fiéis a Jesus".
Depois que essa mensagem em três partes houver sido espalhada pelo mundo, Jesus virá para fazer a "colheita" dos salvos:
"Olhei, e diante de mim estava uma nuvem branca e, assentado sobre a nuvem, alguém 'semelhante a um filho de homem.
Ele estava com uma coroa de ouro na cabeça e uma foice afiada na mão.
Então saiu do santuário outro anjo, que bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: Tome a sua foice e faça a colheita, pois a safra da terra está madura; chegou a hora de colhê-la.
Assim, aquele que estava assentado sobre a nuvem passou sua foice pela terra, e a terra foi ceifada".
Apocalipse 14:14-16

3. A IGREJA DE DEUS DOS ÚLTIMOS DIAS

Você já se encontrou um cristão verdadeiro, que faz você se admirar de sua devoção, paciência e fé, e desejar ter uma experiência espiritual semelhante?
Deus deu Sua mensagem especial de Apocalipse 14 para nossos dias porque ela pode Produzir tal experiência.
Apocalipse 12:17 identifica os cristãos dos últimos dias como "os que obedecem aos mandamentos de Deus e se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus".
Apocalipse 14:12 descreve esse mesmo grupo como os "santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus".

Vamos resumir as características dos cristãos dos últimos dias:

(1) Eles "permanecem fiéis ao testemunho de Jesus".
Mesmo quando Satanás joga Sua ira contra eles, eles "permanecem fiéis ao testemunho de Jesus".
Sua fé não está fundamentada em seus próprios atos, é um dom de Deus (Efésios 2:8). A igreja de Deus dos últimos dias vê mais e mais claramente o verdadeiro caráter de Cristo e, pela graça e através da fé, se tornam monumentos vivos do poder de Cristo habitando neles.

(2) Eles "guardam... a fé de Jesus" (Apocalipse 14:12,).
A fé que Jesus teve, a fé que foi ensinada por Ele, a fé pela qual Ele viveu, agora está presente na vida dessas pessoas.
Eles não apenas têm a verdade, eles "guardam" a verdade eles a seguem.
Para eles, religião é vida, a crença está relacionada com a prática, e a fé está ligada à obediência.
Eles vivem "a fé de Jesus".
Eles descobriram que os grandes ensinos da Bíblia, quando aplicados à vida diária, produzem uma vida cristã dinâmica.
Eles descobriram que as grandes verdades bíblicas lhes despertam amor e devoção a Cristo, e isso satisfaz todos as necessidades e anseios do coração humano.

(3) Eles "obedecem aos mandamentos de Deus", os Dez Mandamentos, a lei moral de Deus.
Eles querem, mais que tudo, obedecer cada desejo, cada mandamento de Deus.
Eles mostram seu amor a Deus e amor às outras pessoas mediante a obediência a todos os mandamentos de Deus, incluindo o quarto mandamento, que nos dirige para a adoração ao nosso Criador .
(4) Eles partilham a mensagem do "evangelho eterno" pelo mundo (Apocalipse 14:6).
O evangelho declara que Jesus morreu por nossos pecados e depois ressuscitou da tumba, a fim de que pudéssemos experimentar um relacionamento com Ele que nos salva. A igreja de Cristo desses últimos dias tem estado a pregar às pessoas em todo lugar para saírem da confusão religiosa e estabelecerem um relacionamento com Jesus baseado apenas nas verdades bíblicas.

(5) Eles são guiados por um senso de urgência, pois "a safra da terra está madura; chegou a hora de colhê-la" (Apocalipse 14:15), e milhões ainda não encontraram a Cristo.

(6) Eles são impulsionados pela missão dada por Deus.
Visto que a "Grande Babilônia" caiu, eles pleiteiam com aqueles que ainda vivem em confusão religiosa a saírem dela (Apocalipse 18:4).
Eles desejam partilhar com as outras pessoas o maravilhoso relacionamento que têm com Cristo e a felicidade que alcançam como resultado disso.
Tudo isso e muito mais serve para unir os corações dos milhões de cristãos que atenderam ao chamado da mensagem dos três anjos.
Sua vida de alegria os leva a se unirem ao apóstolo João e estenderem esse convite a você:
"Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco.
Nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo. Escrevemos estas coisas para que a alegria de vocês seja completa".
I João 1:3, 4,.
Através de Seu Espírito e Sua igreja, Jesus convida você a também vir e entregar tudo o que você tem a Ele:
"O Espírito e a noiva [a igreja] dizem: Vem!.
E todo aquele que ouvir diga:Vem!.
Quem tiver sede, venha; e quem quiser, beba de graça da água da vida".
Apocalipse 22:17

4. AS DUAS COLHEITAS

A mensagem dos três anjos culmina quando Jesus voltar a essa terra para fazer a colheita dos salvos de todas as eras (Apocalipse 14:14-16).
Jesus reúne todos os salvos e os leva com Ele para Suas "muitas mansões" no céu. (João 14:1-3.
Ele acaba de vez com o pecado, a doença, a miséria e a morte.
Os santos, então, começam a viver uma nova e gloriosa vida com Ele por toda a eternidade
(Apocalipse 21:1-4).
Jesus também fará uma "colheita" dos ímpios quando Ele vier:
"Outro anjo saiu do santuário dos céus, trazendo também uma foice afiada.
E ainda outro anjo... bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: Tome sua foice afiada e ajunte os cachos de uva da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras!
" O anjo passou a foice pela terra, ajuntou as uvas e as lançou no grande lagar da ira de Deus.
Elas foram pisadas no lagar, fora da cidade, e correu sangue do lagar".
Apocalipse 14:17-20
Esse será um tempo trágico de destruição final, um evento de muito sofrimento para Cristo, pois Ele precisará destruir aqueles que se recusam a ser salvos.
Jesus "é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento".
(II Pedro 3:9).
Quando Jesus vier para fazer a colheita da terra, em qual você estará?
Estará você entre a safra dos redimidos para a eternidade (Apocalipse 14:13-16)?
Ou você estará entre a safra de uvas que suportará a ira com os perdidos (versos 17-20)?
A escolha está claramente apresentada.
De um lado, Jesus com as mãos marcadas dos pregos, instando com você para que se coloque ao lado dos "santos" que "obedecem aos mandamentos de Deus e mantêm a fé de Jesus" (verso 12).
Do outro lado, estão as vozes de seres humanos, instando com você que a crença em toda a Bíblia e a obediência a todos os mandamentos de Deus não é importante.
A multidão na sala de julgamento de Pilatos certa vez teve que enfrentar uma situação bastante parecida com essa. De um lado estava Jesus, o divino-humano, o Deus que se fez homem.
Do outro lado estava Barrabás, um homem sem esperança, incapaz de ajudar a si mesmo ou àqueles na multidão que testemunhavam aquela cena trágica.
E ainda assim, quando a voz de Pilatos foi ouvida por aquela heterogênea multidão: "Qual dos dois vocês querem que eu lhes solte?
Responderam eles: Barrabás!".

"Perguntou Pilatos: Que farei então com Jesus, chamado Cristo?'".

"Todos responderam: Crucifica-o".
E assim, Jesus, o inocente, foi crucificado; e Barrabás, o culpado, foi libertado. (MATEUS 27:20-26).
A quem você escolhe hoje, Barrabás ou Jesus?
Você prefere seguir as idéias e os ensinos de homens, e que são contrários aos mandamentos de Deus e ao evangelho eterno de Jesus?
Ou você deseja "obedecer aos mandamentos de Deus e permanecer fiel ao testemunho de Jesus"?
Lembre-se, o próprio Jesus prometeu enviar Seu Espírito Santo para resolver cada perplexidade em sua vida, curar cada mágoa, e satisfazer cada um dos seus anseios mais profundos.

COMO VOCÊ PODE ENFRENTAR O JULGAMENTO SEM TEMOR

Quem julgará o mundo?

"O Pai a ninguém julga, mas confiou todo o julgamento ao Filho".
João 5:22
Como a cruz preparou Cristo para se tornar o nosso Juiz?
"Deus [ Jesus] ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça... a fim de ser JUSTO E JUSTIFICADOR daquele que tem fé em Jesus".
Romanos 3:25, 26
A morte de Cristo em nosso favor O capacita para agir tanto como justo Juiz quanto como um gracioso Justificador, que pode perdoar o pecador arrependido.
Quando a audiência do universo faz a pergunta: "Como um juiz imparcial pode declarar que uma pessoa culpada é inocente?
" Cristo responde apontando para as cicatrizes de Suas mãos.
Ele já pagou o preço justo por nossos pecados em Seu próprio corpo.
Os livros do céu preservam um registro de cada vida individual, e esses registros são utilizados no julgamento (Apocalipse 20:12).
Isso é notícia ruim para aqueles que imaginam que seus pecados e crimes secretos nunca serão revelados.
Mas há notícias maravilhosas para aqueles que aceitaram sinceramente a Cristo como seu Advogado no céu: "O sangue de Jesus... nos purifica de todo pecado"
(I João 1:7).
O que Jesus oferece em troca de nossa vida de pecado?
"Deus tornou pecado por nós Aquele [Cristo] que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus".
II Coríntios 5:21
Nossa vida de pecado é trocada pela vida perfeita de justiça de Cristo.
Por causa da vida sem pecados e da morte de Jesus, Deus pode nos perdoar e nos tratar como se nunca tivéssemos pecado.

O que qualifica Jesus para ser nosso Advogado e Juiz?

CRISTO VEIO NO TEMPO CERTO
No Seu batismo, Jesus foi ungido pelo Espírito Santo:
"Assim que Jesus foi batizado, saiu da água.
Naquele momento o céu se abriu, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre Ele.
Então uma voz dos céus disse: Este é o meu Filho amado, em quem me agrado'".
Mateus 3:16, 17
Após a unção de Cristo pelo Espírito Santo em Seu batismo, os discípulos anunciaram:
"Achamos o Messias". João 1:41
Os discípulos sabiam que a palavra hebraica para "Messias" e a palavra grega para "Cristo" ambas significavam "o Ungido".
Lucas, um discípulo de Jesus, registrou a data da unção de Jesus como o Messias: o décimo quinto ano de Tibério César (Lucas 3:1).
Para nós, isso seria o ano 27 AD.
Mais de 500 anos antes da vinda de Jesus, o profeta Daniel predisse que Jesus seria ungido como Messias no ano 27 AD:
"A partir da promulgação do decreto que manda restaurar e reconstruir Jerusalém até que o Ungido... venha, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas".
Daniel 9:25
Sete semanas e sessenta e duas semanas perfazem um total de sessenta e nove semanas ou 483 dias (7 x 69 = 483 dias).
Na profecia bíblica, o simbolismo de um dia equivale a um ano (Ezequiel 4:6; Números 14:34).
Logo, os 483 dias são iguais a 483 anos.
Daniel predisse que um decreto seria promulgado para restaurar e reconstruir Jerusalém, exatamente 483 anos depois desse decreto, o Messias apareceria.
Será que Jesus apareceu como Messias no tempo predito?
Artaxerxes promulgou o decreto para reconstruir Jerusalém em 457 AC (Esdras 7:7-26). Os 483 dias, então, terminaram no ano 27 AD (457 AC + 27 AD = 484.
O decreto foi promulgado durante o ano 457 e Cristo foi ungido durante o ano 27 AD, fazendo com que ambos sejam contados parcialmente, por isso o tempo correto seria 483 anos).
No tempo exato que havia sido predito, no ano 27 AD, Jesus apareceu com a mensagem: "O tempo é chegado".
A precisão do cumprimento dessa profecia bíblica é uma confirmação impressionante que Jesus de Nazaré verdadeiramente é o Messias, o Deus encarnado em forma humana.

Por quanto tempo Jesus confirmaria a promessa?

"Com muitos Ele fará uma aliança [promessa] que durará uma semana".
Daniel 9:27, primeira parte.
Quando aplicamos o princípio dia-ano, essa semana seria de sete anos.
Por isso, por sete anos, de 27 a 34 AD, Jesus faria "uma aliança" ou promessa.
Ele tinha feito essa promessa a Adão e Eva pouco depois de terem pecado.
Deus fez uma aliança, uma promessa, que Ele salvaria a raça humana do pecado através da morte de Alguém que seria enviado para morrer por nossos pecados
Gênesis 3:15).

O que deveria acontecer no meio da sétima semana?

"No meio da semana Ele dará fim ao sacrifício e à oferta".
Daniel 9:27, última parte.
Jesus foi crucificado em 31 AD, no "meio da semana".
No momento da morte de Cristo, Deus rasgou "o véu do templo... de alto a baixo". (Mateus 27:51).
A oferta sacrifical que estava próxima de ser sacrificada (um símbolo de Jesus, "o Cordeiro de Deus") escapou das mãos do sacerdote.
Esse era um sinal de que Deus não desejava mais que a humanidade oferecesse sacrifícios de animais. Ao cumprir a profecia ao pé da letra, Jesus pôs um fim na necessidade de outros sacrifícios serem oferecidos.
Desde a morte de Cristo, as pessoas ganharam acesso a Deus não através de sacrifícios animais e sacerdotes humanos, mas através do Messias, o Cordeiro de Deus e nosso Sumo Sacerdote.

3. A CERTEZA DO PERDÃO DOS PECADOS

De acordo com a profecia de Daniel, por que Jesus morreu?
"O Líder de Deus [o Ungido] será morto injustamente".
Daniel 9:26
Em Sua morte na cruz, Jesus foi morto injustamente.
Ele morreu não para pagar o preço do Seu próprio pecado, mas para pagar o preço dos pecados do mundo inteiro.

Como podemos saber que todos os nossos pecados são perdoados por Deus?

"Justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que crêem... TODOS PECARAM... [e são] JUSTIFICADOS gratuitamente POR SUA GRAÇA, por meio da redenção que há em Cristo Jesus... MEDIANTE A FÉ, PELO SEU SANGUE".
Romanos 3:22-25
Os pontos chaves nesses versos são: "Todos pecaram" mas por causa da "graça" de Deus, todos são "justificados", mediante a "fé" no poder purificador do "sangue" de Cristo.
Quando somos justificados, Deus nos declara inocentes, eliminando a culpa de nossos pecados passados.
E Deus nos declara justos; "justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo".
Todos nós que estamos exaustos pela busca de sermos suficientemente bons, a fim de nos elevarmos a nós mesmos, podemos encontrar descanso real na aceitação graciosa de Cristo.
Ele promete: "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso" (Mateus 11:28).
Todos nós que estamos sobrecarregados pelas cicatrizes do passado e pelas dores de um sentimento de inadequação e vergonha podemos encontrar paz e completude em Cristo.

4. O COMEÇO DO TEMPO DE JULGAMENTO

No oitavo capítulo de Daniel, um anjo mostrou ao profeta um grande panorama do futuro.
Daniel viu (1) um carneiro, (2) um bode, e (3) saindo de um dos chifres do bode, "um pequeno chifre que logo cresceu em poder" (Daniel 9:8, 9); símbolos representando (1) Medo-Pérsia, (2) Grécia, e (3) Roma (Daniel 8:1-12, 20-26).

Qual é a quarta parte da profecia?

"'Quanto tempo durarão os acontecimentos anunciados por esta visão?
Até quando será suprimido o sacrifício diário...?
Ele me disse: Isso tudo levará duas mil e trezentas tardes e manhãs [em Hebraico, dias]; então o santuário será reconsagrado [purificado]'".
Daniel 8:13, 14
Daniel desmaiou antes que o anjo pudesse explicar a parte da profecia sobre os 2.300 dias, e o oitavo capítulo termina sem a interpretação da mesma.
Porém, mais tarde, o anjo reapareceu e disse:
"Preste atenção à mensagem para entender a visão: Setenta semanas estão decretadas [em Hebraico, separadas] para o seu povo e sua santa cidade a fim de acabar com a transgressão, dar fim ao pecado, expiar as culpas".
Daniel 9:22
Os 2.300 dias, claro, são 2.300 anos, cada dia representando um ano (Ezequiel 4:6). Setenta semanas, ou 490 anos, constituiu a primeira parte do período de 2.300 anos. Ambos os períodos começaram no ano 457 AC, quando a Pérsia promulgou o decreto "para restaurar e reconstruir Jerusalém".
Subtraindo 490 anos dos 2.300 anos, sobram 1810.
Somando 1810 anos a 34 DC, que foi a data que terminaram os 490 anos, isso nos leva a 1844 AD.

5. O SANTUÁRIO CELESTIAL PURIFICADO - UM JULGAMENTO

O anjo disse a Daniel em 1844, no final dos 2.300 dias, "o santuário será purificado" (Daniel 8:14, Almeida Revista e Atualizada, 2a edição).
Mas o que isso significa?
Desde o ano 70 AD, quando os romanos destruíram o templo em Jerusalém, o povo de Deus não tem um templo na terra.
Por isso, o santuário a ser purificado, começando em 1844, teria que ser o santuário celestial do qual o santuário terrestre era uma réplica.
Como descobrimos, a atividade de Cristo por nós no santuário tem duas fases: (1) Os sacrifícios diários concentravam-se no ministério do sacerdote no primeiro compartimento do santuário, o Lugar Santo.
(2) O sacrifício anual concentrava-se no ministério do Sumo Sacerdote no segundo compartimento, o Lugar Santíssimo
(Levítico 16).
No santuário terrestre, quando as pessoas confessavam seus pecados a cada dia, o sangue dos animais mortos era aspergido nas pontas do altar, e então transferido para o Lugar Santo (Levítico 4 e 6).
Assim, simbolicamente, dia após dia, os pecados confessados eram trazidos para o santuário e depositados ali.
Então, uma vez por ano, no Dia da Expiação, o santuário era purificado de todos os pecados confessados durante o ano que tinha passado (Levítico 16).
Para efetuar essa purificação, o Sumo Sacerdote fazia um sacrifício especial de um bode consagrado.
Ele então levava o sangue do bode para o Lugar Santíssimo e aspergia esse sangue de purificação diante da tampa da arca, para mostrar que o sangue de Jesus, o Redentor vindouro, pagaria o preço pelos pecados.
O Sumo Sacerdote então, simbolicamente, removia os pecados confessados do santuário e os transferia para outro bode, que era levado para fora do acampamento, para morrer no deserto
(Levítico 16:20-22).
Essa cerimônia anual do Dia da Expiação purificava o santuário do pecado.
O povo considerava esse dia como um dia de julgamento, pois aqueles que se recusassem a confessar seus pecados eram considerados pecadores e eram eliminados do povo de Deus.
(23:29).
O que o sumo sacerdote simbolicamente fazia uma vez por ano, Jesus fará de uma vez por todas como nosso Sumo Sacerdote (Hebreus 9:6-12).
No grande dia do julgamento, Ele removerá do santuário os pecados confessados de todos os que O aceitaram como Salvador.
Se tivermos confessado nossos pecados, Ele irá apagar para sempre os registros dos nossos pecados naquele dia (Atos 3:19).
Esse ministério é o trabalho de julgar que Jesus deu início em 1844.
Em 1844 quando a hora do julgamento de Deus começou no céu, uma mensagem sobre essa hora do julgamento começou a ser pregada pelo mundo (Apocalipse 14:6, 7).
Uma lição futura das DESCOBERTAS BÍBLICAS tratará dessa mensagem.

6. ENFRENTANDO O REGISTRO DA SUA VIDA NO JULGAMENTO

Desde 1844, Cristo, como Juiz, tem estado verificando os registros da vida de cada pessoa que já viveu nessa terra, para confirmar quem será salvo quando Jesus vier. Como nosso Juiz, Jesus cancelará todos os pecados dos juntos dos registros celestiais (Atos 3:19).
Quando nosso nome aparecer no julgamento, será fácil enfrentar o registro de sua vida, caso você tenha aceitado Cristo como seu Substituto.
Quando o julgamento dos justos tiver terminado, Jesus voltará para recompensá-los (Apocalipse 22:12, 14).
Está você pronto para a volta de Jesus?
Ou ainda há alguma coisa que você tem mantido em segredo dEle?
Busque ter um relacionamento pessoal e honesto com Aquele que promete:
"Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça".
I João 1:9
Confissão simplesmente significa concordar em enfrentar nossos pecados, aceitar o perdão de Deus, e reconhecer nossa necessidade de Seu poder e graça.
Como você está se preparando para o julgamento?
Como estamos nos preparando para a vinda de Cristo?
Você só precisa de uma confissão honesta da verdade: "Eu mereço totalmente a penalidade da morte pelos meus pecados, mas Outro tomou meu lugar e me deu um perdão maravilhoso".

Faça um compromisso agora mesmo de que independente do que aconteça a você seu relacionamento com Cristo há de ser honesto e sincero, e proveniente do fundo do seu coração.

UMA REVELAÇÃO ACERCA DO TRABALHO DE JESUS

Qual é o trabalho diário de Jesus no templo celestial?

"Portanto, Ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois VIVE SEMPRE A INTERCEDER POR ELES".
(Hebreus 7:25).
Jesus agora vive para apresentar Seu Sangue, Seu sacrifício, em nosso favor.
Ele está trabalhando agora de maneira diligente para salvar a cada ser humano da tragédia do pecado.
Alguns de maneira errônea assumem que, como nosso Intercessor, Jesus está no céu suplicando a um Deus relutante que sejamos perdoados.
Na verdade, é Deus que alegremente aceita o sacrifício de Seu filho em nosso favor.
Como nosso Sumo Sacerdote no céu, Cristo também apela para a humanidade.
Ele trabalha para ajudar os que estão indiferentes a prestarem mais atenção à graça, para ajudar pecadores desesperados a encontrarem esperança no evangelho, e para ajudar os crentes a encontrarem mais riquezas na Palavra de Deus e mais poder na oração.
Jesus está moldando nossa vida de acordo com os mandamentos de Deus e nos ajudando a desenvolver um caráter que suportará o teste do tempo.
Deus entregou Sua vida em favor de cada pessoa que já viveu nesse mundo.
E agora, como nosso Sumo Sacerdote ou Mediador, "Ele vive sempre" para levar pessoas a aceitarem Sua morte por Seus pecados.
Apesar de haver reconciliado consigo na cruz o mundo caído, Ele ainda não pode nos salvar a não ser que aceitemos Sua graça.
As pessoas não se perderão por serem pecadoras, mas porque se recusaram a aceitar o perdão que Jesus oferece.
O pecado destruiu o relacionamento íntimo que Adão e Eva tinham com Deus.
Mas Jesus, o Cordeiro de Deus, morreu para libertar toda a humanidade do pecado e restaurar esse companheirismo perdido.
Você já descobriu Jesus como seu Sumo Sacerdote, Aquele que vive sempre para manter esse relacionamento íntimo e vibrante?
A morte sacrifical de Cristo é totalmente única. O ministério celestial de Cristo é incomparável.
Apenas Cristo traz Deus para ficar perto de nós.
Apenas Cristo torna possível para o divino Espírito habitar verdadeiramente em nosso coração.
Ele esvaziou-se de tudo a fim de nos tornar completos.
Ele merece um comprometimento parecido da nossa parte.
Vamos aceitá-lO por completo, como nosso Salvador e Mestre de nossa vida.

The Voice of Prophecy Radio Broadcast

UMA REVELAÇÃO ACERCA DA MORTE DE CRISTO PARA NOS SALVAR

Da mesma forma que o santuário terrestre servia como maquete do templo celestial onde Jesus agora ministra por nós, os serviços efetuados no santuário terrestre eram "cópia e sombra daquele que está nos céus" (Hebreus 8:5).
Mas, há uma diferença marcante: os sacerdotes que serviam no templo terrestre não podiam perdoar por si mesmos os pecados, mas a cruz de Jesus "apareceu uma vez por todas no fim dos tempos para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo". (Hebreus 9:26)
O livro de Levítico, no Velho Testamento, descreve em detalhe os serviços efetuados no santuário. Os ritos cerimoniais eram divididos em duas partes: os serviços diários e os serviços anuais .
Nos serviços diários, os sacerdotes ofereciam sacrifícios pelo indivíduo e por toda a congregação.
Quando uma pessoa pecava, ele trazia um animal sem defeitos como oferta pelo pecado. Colocava "a mão sobre a cabeça do animal da oferta pelo pecado, que... [seria] morto no lugar dos holocaustos".
(Levítico 4:29).
A culpa do pecador precisava ser transferida para o animal sem defeitos através da confissão do pecado e da imposição de mãos.
Isso simbolizava o ato de Cristo de tomar nossa culpa no Calvário; onde o que era sem pecado se fez pecado por nós (II Coríntios 5:21).
O animal a ser sacrificado tinha de ser morto e seu sangue derramado, pois apontava para o preço final que Cristo teria de sofrer na cruz.

5. PRA QUE O SANGUE?

"Sem derramamento de sangue não há perdão" (Hebreus 9:22).
O que acontecia no santuário do Velho Testamento apontava para o futuro, para o grande ato de salvação feito por Cristo.
Ao morrer por nossos pecados, Ele "por Seu próprio sangue,... entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção" por nós (verso 12).
Quando o sangue de Jesus foi derramado na cruz, "o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo" (Mateus 27:51).
Por causa do sacrifício de Jesus na cruz, os sacrifícios de animais não eram mais necessários.
Quando Jesus derramou Seu sangue na cruz, Ele estava oferecendo Sua vida perfeita como substituta por nossos pecados.
Quando o Pai e o Filho se separaram no Calvário, o Pai virou o rosto em angústia e o Filho morreu com o coração partido.
Deus o Filho entrou na História para tomar sobre Si toda a maldição do pecado e para demonstrar o quão trágico é a maldade.
Com isso, Ele poderia perdoar os pecadores sem contemporizar com o pecado.
Cristo estabeleceu "a paz pelo Seu sangue derramado na cruz"
(Colossenses 1:20

O MINISTÉRIO DE JESUS POR NÓS REVELADO NO SANTUÁRIO

O santuário e seus serviços revelam o que Jesus está fazendo agora no templo dos céus, e o que Ele está fazendo agora na terra para melhorar e guiar a vida diária de cada um de nós.
Já que o santuário terrestre era padronizado de acordo com o céu, ele reflete o santuário celestial, onde Cristo ministra atualmente.
Êxodo 25:40 descreve os serviços e cerimônias do santuário do deserto de forma bem detalhada.
Um breve sumário dos móveis do santuário aparece no Novo Testamento:
"Ora a primeira aliança tinha regras para a adoração e também um tabernáculo terreno... Na parte da frente, chamada Lugar Santo, estavam o candelabro, a mesa e os pães da Presença.
Por trás do segundo véu havia a parte chamada Santo dos Santos, onde se encontravam o altar de ouro para o incenso e a arca da aliança, totalmente revestida de ouro. Nessa arca estavam... as tábuas da aliança [nas quais Deus escreveu os Dez Mandamentos (Deuteronômio 10:1-5)].
Acima da arca estavam os querubins da Glória, que com sua sombra cobriam a tampa da arca [o propiciatório]".
Hebreus 9:1-5
O santuário tinha dois compartimentos: o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo.
Na frente do santuário encontrava-se um pátio, que continha o altar de holocaustos feito de bronze, no qual os sacerdotes ofereciam sacrifícios, e a pia de bronze, no qual eles se lavavam.
Os sacrifícios oferecidos no altar de holocaustos simbolizavam Jesus, que através de Sua morte na cruz se tornou "o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!"
(João 1:29).
Quando o pecador arrependido vinha ao altar com seu sacrifício e confessava seus pecados, ele recebia perdão e purificação.
Da mesma maneira, hoje o pecador também recebe perdão e purificação através do sangue de Jesus
(I João 1:9).
No primeiro compartimento ou Lugar Santo, o candelabro com sete castiçais queimava continuamente, representando Jesus como a "luz do mundo" que nunca falha (João 8:12).
A mesa dos pães da presença simbolizava a satisfação que Cristo dá à nossa fome física e espiritual, pois Ele é o "Pão da Vida" (João 6:35).
O altar de incenso representava o ministério da oração de Jesus por nós à presença de Deus
(Apocalipse 8:3, 4).
O segundo compartimento, o Lugar Santíssimo, continha a arca da aliança coberta de ouro.
Ela simbolizava o trono de Deus.
Sua tampa da propiciação representava a intercessão de Cristo, nosso Sumo Sacerdote, em favor dos seres humanos pecadores que quebraram a lei moral de Deus.
As duas tábuas de pedra nas quais Deus escreveu os Dez Mandamentos eram mantidas dentro da arca.
Querubins de ouro pendiam acima da tampa da arca, de cada lado.
Uma gloriosa luz brilhava entre esses dois querubins, e isso era um símbolo da presença visível de Deus.
Uma cortina escondia a visão do Lugar Santo dos sacerdotes que ministravam às pessoas no pátio.
Uma segunda cortina na frente do Lugar Santíssimo evitava o contato dos sacerdotes que entravam no primeiro compartimento do santuário com esse lugar mais interno.
Quando Jesus morreu na cruz, o que aconteceu com a cortina?
"Naquele momento, o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo". ateus 27:51
O Lugar Santíssimo ficou exposto quando Jesus morreu.
Depois da morte de Jesus, não há nenhuma cortina que possa ser colocada entre um Deus santo e um crente sincero; Jesus, nosso Sumo Sacerdote, nos introduz na presença de Deus (Hebreus 10:19-22).
Temos acesso à sala do trono do céu porque Jesus é nosso Sumo Sacerdote à direita de Deus.
Jesus nos capacita a vir à presença de Deus, ao coração de amor do Pai.
Por isso, aproximemo-nos sem temor.

O EVANGELHO NO NOVO TESTAMENTO

Quando o povo de Israel acampou no pé do Monte Sinai, Deus instruiu Moisés a construir um santuário portátil para adoração, "segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte". (Êxodo 25:40).
Aproximadamente 500 anos depois, o grande templo de pedra do Rei Salomão substituiu o santuário portátil.
E o templo foi construído precisamente com o mesmo modelo usado para o santuário portátil.
Quando Deus deu a Moisés as instruções para construir o santuário, que propósito específico Ele tinha em mente?
"E farão um santuário para mim, e EU HABITAREI NO MEIO DELES".
Êxodo 25:8
O pecado causou uma separação trágica entre os seres humanos e seu Criador.
O santuário foi a maneira encontrada por Deus de mostrar como Ele pode viver novamente conosco.
O santuário, e mais tarde o templo, se tornou o centro da vida religiosa e da adoração nos tempos do Velho Testamento.
A cada manhã e a cada tarde as pessoas se reuniam ao redor do santuário e entravam em contato com Deus em oração (Lucas 1:9, 10), clamando a promessa de Deus: "Me encontrarei com você"
Êxodo 30:6).
O Velho Testamento ensina o mesmo evangelho da salvação que o Novo Testamento.
Ambos retratam a morte de Jesus por nós e o Seu ministério como nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial.

ACESSO ILIMITADO A JESUS

Acredite se quiser, mas podemos nos aproximar mais de Jesus agora do que quando Ele vivia entre nós como uma pessoa visível.
Ter a Cristo em carne e osso em nossa cidade seria maravilhoso, é claro, mas pense nas imensas multidões se acotovelando para se aproximarem dEle.
Pense em quanto tempo seria necessário para atender a todos.
Talvez, o máximo que conseguiríamos em toda a nossa vida seria alguns minutos de conversa face a face.
Cristo deseja cultivar um relacionamento pessoal com cada um de nós.
Essa é uma razão pela qual Ele deixou esse planeta para exercer um ministério especial no céu.
Esse ministério permitiria que Ele se aproximasse de nós a cada dia.
Por não ser limitado a um lugar apenas como Ele era quando estava aqui na terra, através do Espírito Santo, Jesus está próximo o suficiente para guiar a vida de qualquer pessoa que deseje isso.

Que promessa encorajadora Jesus fez pouco antes de subir aos céus?

"E EU ESTAREI SEMPRE COM VOCÊS, até o fim dos tempos".
Mateus 28:20 ).

O que está Cristo fazendo no céu que possibilita que Ele esteja sempre conosco?

"Portanto, visto que TEMOS UM GRANDE SUMO SACERDOTE que adentrou os céus, JESUS, O FILHO DE DEUS, apeguemo-nos com toda firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém sem pecado.
Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade".
Hebreus 4:14-16
Veja as garantias de ter a Jesus como nosso representante especial no céu: "Como nós, passou por todo tipo de tentação"; "compadecer-se de nossas fraquezas"; "nos ajude no momento da necessidade".
Com Jesus como nosso Sumo Sacerdote não somos mais cortados de um céu distante; Cristo pode nos levar à própria presença de Deus.
Não é de admirar que somos instados a nos aproximar "do trono da graça com toda a confiança".

Que lugar Jesus ocupa no céu?

"Mas quando este sacerdote [Jesus] acabou de oferecer, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se À DIREITA DE DEUS".
Hebreus 10:12
O Cristo vivo alguém que nos entende é nosso representante pessoal no trono "à direita de Deus".

Como a vida de Jesus O preparou para ser nosso sacerdote?

"Por essa razão era necessário que Ele se tornasse semelhante a seus IRMÃOS em todos os aspectos para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus e fazer propiciação pelos pecados do povo.
Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ELE É CAPAZ DE SOCORRER aqueles que também estão sendo tentados".
Hebreus 2:17, 18.
Nosso "Irmão" que partilha nossa humanidade e foi "tentado" como nós, é agora nosso Sumo Sacerdote à direita do Pai.
Semelhante a nós, Ele entende o nosso sofrimento.
Ele já esteve faminto e sedento, já foi tentado e já ficou exausto.
Ele já sentiu necessidade de simpatia e compreensão.
Mas, acima de tudo, Jesus está qualificado para ser nosso Sumo Sacerdote porque Ele morreu para "fazer propiciação" por nossos pecados.
Ele pagou o preço por nossos pecados ao morrer em nosso lugar.
Esse é o evangelho, as Boas Novas para todos os seres humanos em todos o lugares e para sempre.
Quando toda humanidade foi machucada pelo pecado e condenada a morrer eternamente, Jesus disse: "Pai, eu gostaria que tivesse acontecido comigo".
E o Pai concedeu esse desejo a Jesus, quando este morreu na cruz.
Nosso Salvador conhece cada agonia que temos sofrido e muito mais!

DEUS

O Deus Todo-Poderoso promete estar em nossa companhia e nos ensinar.
Que alegria deve ser o de sentar-se aos Seus pés!
Agora pense, os redimidos terão um privilégio infinitamente superior.
Eles irão conversar com o Autor de toda música, ciência ou arte.
Eles terão conversas íntimas com a Mente mais inteligente e o Coração mais profundo de todo o universo.
E essa relação resultará em adoração.
"De uma lua nova a outra e de um sábado a outro, toda a humanidade virá e se inclinará diante de mim, diz o Senhor".
Isaías 66:23
No centro da cidade celestial se encontra o grande trono branco de Deus, envolto por um arco-íris esmeralda, Sua face brilha como um sol radiante.
Por baixo de Seus pés, um rio de vidro se estende em todas as direções.
Nessa superfície de cristal que reflete a glória de Deus, os redimidos se reunirão para exultarem em louvor a Deus.
"E os que o Senhor resgatou voltarão.
Entrarão em Sião com cantos de alegria; duradoura alegria coroará sua cabeça.
Júbilo e alegria se apoderarão deles, e a tristeza e o suspiro fugirão".
Isaías 35:10
Aqui está Alguém cuja bondade nunca deixa nada de fora.
Sua fidelidade, paciência e compaixão atuam para sempre.
Glória ao Seu santo nome!

6. PRECISAMOS ESTAR LÁ!

Jesus almeja por esse encontro face a face.
É por isso que Ele deseja salvar você do pecado independente do preço que tenha que pagar.
Você precisa pessoalmente se apoderar desse dom.
Você precisa se comprometer com Cristo como seu Salvador e Senhor.
Você precisa do perdão que é oferecido pela cruz, pois:

"Nela [na Nova Jerusalém] jamais entrará algo impuro, nem ninguém que pratique o que é vergonhoso ou enganoso, mas unicamente aqueles cujos nomes estão escritos no livro da vida do Cordeiro".
Apocalipse 21:27
Jesus nos liberta do pecado, não no pecado.
Precisamos vir a Ele, motivados pelo Seu poder que atua em nós e nos afastar da impureza e do profano.
Jesus é a senha de acesso ao Seu reino vindouro.
E esse reino pode começar agora mesmo em sua vida.
Quando Cristo nos liberta do pecado, Ele cria um novo céu em nosso íntimo.
Ele pode nos ajudar a lidar com a preocupação, raiva, luxúria, medo e culpa que corroem o nosso coração.
A esperança do céu não é uma fuga para os problemas da vida; ela ajuda a criar um céu aqui na terra.
Uma pesquisa feita recentemente mostrou que "aqueles que acreditam haver vida no futuro, mesmo se a pessoa morrer, levam uma vida mais feliz e confiam mais nas pessoas do que aqueles que não acreditam".
Nada terá um impacto maior em nossa vida atualmente do que um relacionamento de confiança com Jesus Cristo.
Ouça como Pedro descreve o impacto de viver uma vida de fé:
"Mesmo não o tendo visto, vocês o amam, crêem nele e EXULTAM COM ALEGRIA INDIZÍVEL E GLORIOSA, pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas". I Pedro 1:8, 9
Você alcança isso e o céu também.
Você já descobriu o tipo de vida abundante que Cristo deseja que você experimente? Por favor, não vire as costas ao Seu convite gracioso.

"O Espírito [Santo] e a noiva dizem: Vem!
E todo aquele que ouvir diga: "Vem!" Quem tiver sede, venha; e quem quiser, beba de graça da água da vida".
Apocalipse 22:17
Jesus está com você agora, falando ao seu coração através dessas linhas.
Ele convida você: "Venha! Venha!
Venha!" Ele não poderia estar mais desejoso e ser mais insistente.
Se você ainda não fez isso, essa é a melhor oportunidade para aceitar essa oferta.
Diga a Ele que você aceita Seu precioso dom da graça e que deseja passar a eternidade com Ele.
Diga-lhe que você O ama.
Agradeça-o por tudo o que Ele tem feito por você, e tudo o que Ele ainda está planejando para sua vida.
Se há alguma coisa entre você e Deus, peça para Ele lhe conceder o desejo de tirar isso da frente.
Hoje, enquanto ouve a Sua voz, enquanto seu coração está atento ao seu chamado, entregue-se inteiramente a Ele.
Abaixe sua cabeça nesse momento e diga: "Jesus, meu Senhor, venho a Ti.
Te entrego toda a minha vida.
Serei Teu para sempre".

Copyright © 2004 The Voice of Prophecy Radio Broadcast
Los Angeles, California, U.S.A.

O MAL IRÁ AMEAÇAR O CÉU DE NOVO?

"Nela jamais entrará algo impuro, nem ninguém que pratique o que é vergonhoso ou enganoso, mas unicamente aqueles cujos nomes estão escritos no livro da vida do Cordeiro".
Apocalipse 21:27
Deus eliminará completamente o pecado e suas terríveis conseqüências; isso nunca mais surgirá de novo.
Quando Jesus aparecer, "seremos semelhantes a Ele" (I João 3:2).
Ao invés de lutar contra os impulsos de matar, roubar, mentir e abusar, possuiremos a graça do céu em nossa vida.
"Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima.
Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou".
Apocalipse 21:4
Até mesmo o maior inimigo, a morte, será banida.
O céu será uma terra de juventude eterna, onde os redimidos serão "imortais"
(I Coríntios 15:53); nenhum habitante jamais sofrerá das conseqüências da velhice.
O céu não apenas destrói as conseqüências do pecado, mas também as transforma. Imagine como se sentirão aqueles que lutaram a vida inteira por serem portadores de necessidades especiais:
"Então se abrirão os olhos dos cegos e se destaparão os ouvidos dos surdos... Então os coxos saltarão como o cervo, e a língua do mudo cantará de alegria".
Isaías 35:5, 6

5. QUAL SERÁ A COISA MAIS EMOCIONANTE DO CÉU?

Imagine ver o Senhor do Universo face a face.
"Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais Ele viverá.
Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus". Apocalipse 21:3

O QUE FAREMOS NO CÉU?

"Pois vejam!
Criarei novos céus e nova terra,... vou criar Jerusalém para regozijo, e seu povo para alegria... Construirão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão do seu fruto... Os meus escolhidos esbanjarão o fruto do seu trabalho".
Isaías 65:17-22
Jesus já está preparando lares personalizados para nós na Cidade Santa, a Nova Jerusalém (João 14:1-3; Apocalipse 21).
Esses versos sugerem que também projetaremos e construiremos outras casas talvez casas no campo, com jardins maravilhosos, cheios da variedade sem fim de vida natural.
E quem sabe, que aventuras de alta tecnologia nos aguardam na avançada civilização de Deus?
Nossos avanços tecnológicos atuais e odisséias espaciais parecerão brincadeira de criança quando começarmos a explorar a "casa do Pai".
Você gosta da beleza das borbulhantes quedas d'água, dos prados serenos, florestas abundantes, e flores delicadas?
"Com certeza o Senhor confortará Sião... Ele tornará seus desertos como o Éden, seus ermos, como o jardim do Senhor.
Alegria e contentamento serão achados nela, ações de graça e som de canções".
Isaías 51:3
Deus transformará a terra num Jardim do Éden primitivo.
Sem mais derramamento de óleo, ou poluição, ou seca; os lagos permanecerão límpidos como cristal, as árvores majestosas, e as encostas das montanhas sem fendas.
Não apenas a belezas do mundo; mas também nossa capacidade de absorvê-las será imensamente intensificada.
Será como se estivéssemos saindo ao ar livre pela primeira vez depois de muito tempo doente de cama.
A alegria dos primeiros minutos se estenderá por toda uma mágica eternidade.
Você gosta de experimentar coisas novas?
Aprender?
Criar?
"Ali, mentes imortais contemplarão, com deleite que jamais se fatigará, as maravilhas do poder criador, os mistérios do amor que redime... Todas as faculdades se desenvolverão, ampliar-se-ão todas as capacidades.
A aquisição de conhecimentos não cansará o espírito nem esgotará as energias.
Ali, os mais grandiosos empreendimentos poderão ser levados avante, alcançadas as mais elevadas aspirações, as mais altas ambições realizadas; e surgirão ainda novas alturas a atingir, novas maravilhas a admirar, novas verdades a compreender, novos objetivos a aguçar as faculdades do espírito, da alma e do corpo.
Todos os tesouros do Universo estarão abertos ao estudo dos remidos de Deus".
Ellen G. White, O Grande Conflito

TEREMOS UM CORPO REAL NO CÉU?

Quando Jesus apareceu aos Seus discípulos em Seu corpo ressuscitado e glorificado, como Ele descreveu esse corpo?

"Vejam as minhas mãos e os meus pés.
Sou eu mesmo!
Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho".
Lucas 24: 39
Jesus tinha um corpo real; Ele convidou Tomé a tocá-lo (João 20:27).
Nessa ocasião, Jesus entrou numa casa real, conversou com pessoas reais e até comeu comida real.
(Lucas 24:43).
O Céu não é habitado por fantasmas, mas por pessoas reais que usufruem a vida espiritual, e que têm "um corpo glorificado".
"A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.
Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos humilhados, tornando-os semelhantes ao seu corpo glorioso".
Filipenses 3:20, 21
Podemos ter certeza de que nosso corpo celestial será tão sólido e real quanto o corpo ressurrecto de Cristo.

Reconheceremos nossos familiares e amigos no céu?

"Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face.
Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido".
I Coríntios 13:12
No céu, seremos "plenamente conhecidos".
Nos entenderemos e nos apreciaremos muito mais profundamente do que jamais aconteceu aqui em nosso mundo atual.
Os discípulos de Jesus O reconheceram em Seu corpo celestial, aparentemente em virtude de Seus aspectos familiares (Lucas 24:36-43).
Maria O conheceu no túmulo por causa do som familiar da Sua voz quando Ele a chamou pelo nome (João 20:14-16).
Os dois discípulos em Emaús O identificaram por causa dos gestos familiares.
Quando eles perceberam a maneira pela qual seu convidado abençoava a comida, eles O reconheceram como sendo Jesus
(Lucas 24:13-35).
Os redimidos certamente experimentarão a alegria de encontros "face a face" no céu. Imagine a alegria em reconhecer o jeito especial de sorrir de seu cônjuge, ou um chamado familiar de uma criança que você foi obrigado a enterrar há muito tempo, ou perceber os gestos característicos de um amigo amado.
Teremos uma eternidade para aprofundar os laços mais preciosos que nos unem, e a desenvolver amizades íntimas com as personalidades mais fascinantes do universo.

O CÉU É UM LUGAR REAL?

Jesus está atualmente preparando para nós um lugar real num céu real.

"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim [Jesus]. Na casa de Meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito.
Pois VOU PREPARAR-VOS UM LUGAR.
E, quando eu for e vos preparar lugar, VOLTAREI e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também".
João 14:1-3, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição.

"Então vi novos céus e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia dos céus, da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para o seu marido.
Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: "Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais Ele viverá.
Eles serão os seus povos, o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus". Apocalipse 21:1-3

Depois da transformação por fogo, quem Jesus promete que vai ocupar a nova terra?

"Bem aventurados os humildes, pois eles receberão a Terra por herança".
Mateus 5:5 (Ver também Apocalipse 21:7).
Cristo promete restaurar Seu mundo, que já foi perfeito um dia, à sua beleza edênica original, e os humildes "herdarão a terra".

A PROMESSA

De vez em quando, somos tentados a nos perguntar se será realmente possível que Cristo descerá do céu azul acima de nós para nos reunir.
Estamos separados a tanto tempo.
Tal final feliz para a longa e trágica história da terra pode parecer boa demais para ser verdade.
Contudo, há uma coisa que pode manter a esperança viva em nosso coração.
O segredo é a promessa feita por Jesus de que voltaria.
Pouco antes de deixar Seus discípulos e subir ao céu, Jesus fez essa promessa:

"Não se perturbe o coração de vocês.
Creiam em Deus; creiam também em mim.
Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito.
Vou preparar-lhes lugar.
E se eu for, e vos preparar lugar, VOLTAREI e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver".
João 14:1-3 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI]).
Antes de Jesus subir aos céus, Ele assegurou a Seus discípulos: "VOLTAREI!" Ele prometeu voltar e levar todos os que confiam nEle para um lugar especial que tem preparado para nós.
As Escrituras falam da Sua segunda vinda aproximadamente 2.500 vezes.
O fato de que Jesus está voltando ao mundo uma segunda vez é tão certo quanto foi real a Sua vida nessa terra há cerca de dois mil anos atrás.
Muito tempo antes de Jesus aparecer, Deus prometeu que um Messias viria, e Ele seria um Libertador que levaria sobre Si nossas iniqüidades e proveria perdão para o pecado humano.
Essa promessa parecia muito boa para ser verdade para muitas pessoas que viviam no mundo antigo e enfrentavam as durezas da vida.
No entanto, Jesus veio e morreu numa cruz.
A promessa se tornou realidade mais gloriosamente do que as pessoas imaginavam que fosse possível.
Sua promessa de voltar também se tornará realidade.
Podemos confiar na promessa de Jesus baseada em Seu amor por nós, de que vai voltar e reunir aqueles por quem teve que pagar um preço infinito.

Dá para imaginar que reunião maravilhosa será aquela quando finalmente formos capazes de ver a Cristo face a face?
Sua aparência gloriosa irá ofuscar todos os nossos sofrimentos e frustrações, e irá exterminar toda a dor que temos guardado no fundo de nosso coração.
A volta de Jesus irá cumprir nossos anseios mais profundos e nossas mais entusiásticas expectativas.
Entraremos numa eternidade de união íntima e pessoal com a personalidade mais maravilhosa que existe no Universo.

Jesus em breve virá!
Está você ansiando esse dia?

2. COMO SERÁ A VINDA DE JESUS?

(1) JESUS VIRÁ SECRETAMENTE?
"Vejam que eu [Jesus] os avisei antecipadamente.
Assim, se alguém lhes disser: Ele está lá, no deserto, não saiam; ou Ali está ele, dentro da casa!, não acreditem.
PORQUE ASSIM COMO O RELÂMPAGO sai do Oriente e SE MOSTRA no Ocidente, ASSIM SERÁ A VINDA DO FILHO DO HOMEM".
Mateus 24:25-27
Um relâmpago riscando o céu é visível a grandes distâncias.
Da mesma maneira, a volta de Jesus não será algum evento secreto ou subjetivo.

(2) JESUS VOLTARÁ REALMENTE COMO UMA PESSOA?
"E eles [os seguidores de Jesus] ficaram com os olhos fixos no céu enquanto ele [Jesus] subia.
De repente surgiram diante deles dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: 'Galileus, por que vocês estão olhando para o céu?
ESSE MESMO JESUS, que dentre vocês foi ELEVADO PARA O CÉU, VOLTARÁ DA MESMA FORMA como o viram subir".
Atos 1:10, 11
No dia em que deixou nosso mundo, os anjos asseguraram a Seus discípulos que o "mesmo Jesus" levado ao céu não outra pessoa voltaria da mesma forma, mas agora como Rei dos Reis.
O mesmo Jesus que curou os doentes e abriu os olhos dos cegos.
O mesmo Jesus que falou gentilmente à mulher em adultério.
O mesmo Jesus que enxugou as lágrimas dos que choravam os seus mortos, e que recebeu as crianças em Seu colo.
O mesmo Jesus que morreu na cruz do Calvário, descansou no túmulo, e ressuscitou dos mortos do terceiro dia.

(3) SERÁ QUE JESUS VIRÁ DE UMA FORMA QUE POSSAMOS VÊ-LO?
"Eis que ele vem com as nuvens, e TODO O OLHO O VERÁ".
Apocalipse 1:7 (primeira parte)

Todos os que estiverem vivos quando Jesus voltar, tantos os justos quanto os ímpios, serão testemunhas de Seu retorno.
Quantos, de acordo com o próprio Jesus, verão a Sua vinda?
"Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e TODAS AS NAÇÕES DA TERRA se lamentarão e VERÃO o Filho do Homem vindo nas nuvens de céu com poder e grande glória".
Mateus 24:30

Todos os vivos de nosso planeta verão a volta de Jesus.

(4) QUEM ACOMPANHARÁ JESUS QUANDO ELE VIER?
"Quando o Filho do Homem vier em sua glória, com todos os anjos, assentar-se-á em seu trono na glória celestial".
Mateus 25:31
Imagine como será ver a Jesus voltando com todo o Seu esplendor, e rodeado por "todos os anjos".

(5) PODEMOS PREDIZER O TEMPO EXATO DA VOLTA DE JESUS?
"Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai... Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam".
Mateus 24:36-44
Todos assistirão a chegada gloriosa de Jesus, mas muitos não estarão preparados para ela.
Está você, pessoalmente, preparado para a volta de Jesus?

3. O QUE JESUS FARÁ QUANDO VIER OUTRA VEZ?

(1) JESUS AJUNTARÁ TODOS OS SALVOS (os eleitos)
"E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus".
Mateus 24:31
Se você tiver permitido que Jesus prepare seu coração e sua vida, você o encontrará com alegria, pois estará encontrando Seu Salvador.

(2) JESUS RESSUSCITARÁ OS JUSTOS QUE MORRERAM
"Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, e OS MORTOS EM CRISTO RESSUSCITARÃO PRIMEIRO".
I Tessalonicenses 4:16
Jesus desce dos céus com um grito.
Sua poderosa voz é ouvida por todo o mundo.
Ela abre as sepulturas em cada cemitério e ressuscita milhões de pessoas que aceitaram a Jesus durante as eras.
Que dia sensacional será esse!

(3) JESUS TRANSFORMARÁ TODOS OS JUSTOS NA SUA VIDA não apenas os justos mortos, mas também os que estiverem vivos.
"Depois nós, os que estivermos vivos SEREMOS ARREBATADOS COM ELES nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares".
Verso 17
Para nos preparar para a eternidade, Cristo transforma nossos corpos mortais que são sujeitos à morte em corpos imortais gloriosos.
"Eis que lhes digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas TODOS SEREMOS TRANSFORMADOS, num momento, num abrir e fechar de olhos, AO SOM DA ÚLTIMA TROMBETA. Pois a trombeta soará, OS MORTOS RESSUSCITARÃO INCORRUPTÍVEIS e NÓS SEREMOS TRANSFORMADOS.
Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é imortal, se revista de imortalidade".
I Coríntios 15:51-53
Quando Jesus vier, "todos seremos transformados".
Pense nisso: não haverá mais artrite, paralisia, ou câncer.
Os hospitais serão fechados, e as casas funerárias desaparecerão.
Cristo voltou!

(4) JESUS LEVARÁ OS JUSTOS PARA VIVER NO CÉU
O próprio Jesus fez esta promessa:
"Virei outra vez e os levarei" para a casa do Meu Pai (ver João 14:1-3).
Pedro fala da herança dos redimidos que está "guardada nos céus para vocês"
(I Pedro 1:4).
Podemos olhar para o futuro e imaginar as maravilhas da cidade de Deus, a Nova Jerusalém, e finalmente ver nosso Pai celestial.

(5) JESUS ELIMINARÁ O MAL E O SOFRIMENTO PARA SEMPRE
Os ímpios aqueles que rejeitarem persistentemente a misericórdia oferecida por Jesus estão na verdade se condenando.
Ao olharem o rosto de Jesus vindo na direção deles, das nuvens, uma súbita percepção do seu pecado será muito dolorosa de se agüentar; eles clamarão para as montanhas e as rochas: "Caiam sobre nós e escondam-nos da face daquele que está assentado no trono e da ira do Cordeiro!
" (Apocalipse 6:16).
Eles preferem a morte a terem que encarar a glória maravilhosa de Jesus.
Eles sabem que a voz que agora irrompe pelo céu, já implorou suavemente a eles que aceitassem a graça divina.
Aqueles que se perdem nessa louca corrida em busca de dinheiro, prazer ou status, perceberão ali que negligenciaram a única coisa que realmente valia na vida.
Essa é uma revelação esmagadora.
Afinal, nenhum deles precisava ter se perdido.
O próprio Deus não tem "prazer na morte dos ímpios" (Ezequiel 33:11).
Ele não quer "que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento"
(II Pedro 3:9).
Jesus implora: "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso".
(Mateus 11:28).
Mas, por incrível que pareça, alguns ainda evitam Seu convite maravilhoso.

4. VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA A VOLTA DE JESUS?

Foi exigido de Jesus um grande preço para que pudesse nos garantir um futuro glorioso com Ele.
Foi exigido dEle a Sua vida!

"CRISTO FOI OFERECIDO EM SACRIFÍCIO UMA ÚNICA VEZ, para tirar os pecados de muitos; e APARECERÁ SEGUNDA VEZ, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que O aguardam".
Hebreus 9:28
O Salvador que morreu na cruz para nos purificar do pecado "aparecerá uma segunda vez" e trará "salvação aos que O aguardam".
Cristo Se sacrificou a fim de oferecer salvação a cada um de nós.
Mas, se não houvesse a Segunda Vinda, a cruz teria falhado.
Cristo deseja nos dar um lar eternamente seguro com Ele.
Para que isso aconteça, devemos permitir que Ele governe nosso coração como Salvador e Senhor agora mesmo.
Na manhã do dia 16 de agosto de 1945, no Norte da China, um menino passou correndo por um pátio de um campo de prisioneiros, gritando que tinha visto um avião no céu. Todos os prisioneiros que ainda tinha forças correram para fora e olharam para cima. Esses homens e mulheres tinham sofrido durante anos com o isolamento, a privação e a ansiedade, aprisionados pelos japoneses como cidadãos de nações inimigas. Para muitos, apenas uma coisa os mantivera espiritualmente vivos: a esperança de que algum dia a guerra terminaria.
Algo parecido com um choque elétrico passou por aquele grupo de 1.500 sobreviventes ao perceberem que esse avião poderia estar vindo para LHES BUSCAR.
À medida que o barulho da aeronave ia se tornando mais alto, alguém gritou: "Vejam, há uma BANDEIRA AMERICANA pintada na lateral do avião!
Então, num ânimo indescritível, várias vozes gritaram: "Vejam, eles estão acenando para nós!
Eles sabem quem somos.
Estão vindo para nos buscar".
Nesse momento, o entusiasmo era maior do que esses maltrapilhos, fracos e saudosos sobreviventes podiam suportar.
Um pandemônio instalou-se.
As pessoas começaram a correr em círculos, gritar o mais alto que podiam, agitando os braços e chorando.
Repentinamente, a multidão parou e olhou em silêncio.
A parte de baixo da aeronave subitamente se abriu e os homens começaram a se jogar de os pára-quedas.
As pessoas que vinham para resgatá-los, não viriam simplesmente em algum dia no futuro; eles estavam vindo naquele momento, para estar no meio deles IMEDIATAMENTE!
A multidão se dirigiu para o portão daquela prisão.
Ninguém parou para pensar nas armas apontadas para eles pelos vigias das torres. Depois de anos de frustração e solidão, nada mais importava.
Eles arrebentaram o portão e correram para onde os pára-quedistas tinham pousado.
Logo, aquela multidão de gente se virou e voltou para a prisão com os soldados nos ombros.
O comandante da prisão se entregou sem lutar.
A guerra estava realmente acabada.
A liberdade tinha chegado.
O mundo estava renovado!
Logo, NOSSO Deus, NOSSO Salvador, descerá nas nuvens dos céus para nos resgatar.
A longa história de horror da crueldade humana para com seus irmãos chegará ao fim. Haverá júbilo naquele dia, gritos de alegria ao finalmente entendermos: "Ele está se aproximando; já posso ver os anjos tocando suas trombetas".
O som vai ficando mais e mais alto; a nuvem vai ficando mais brilhante, até quase não conseguirmos mais suportar.
Mas, não conseguiremos parar de olhar até percebermos: "Ele está me vendo.
Ele sabe quem eu sou".
E então, saberemos com grande alegria: "Esse é o meu Deus.
Ele está vindo me buscar, não algum dia, mas hoje, agora mesmo!".
Está você pronto para receber o Rei em toda Sua glória?
Se não, por favor, convide Jesus a entrar pessoalmente em sua vida e tomar conta dela.
Assim como a volta de Jesus a esse mundo irá solucionar os problemas que existem nele, a entrada de Jesus em seu coração ajudará você a lidar com seus problemas diários no presente.
O maior Solucionador de Problemas pode libertar você da culpa e do peso do pecado, e lhe dar a vida eterna.
A entrada de Jesus em Sua vida pode mudá-la drasticamente, assim como a volta de Jesus transformará perpetuamente nosso mundo.
Você pode depender de Jesus.
Ele vai preparar você para Sua volta e lhe dará a maravilhosa certeza de que há uma vida de felicidade eterna esperando por você.

Copyright © 2004 The Voice of Prophecy Radio Broadcast
Los Angeles, California, U.S.A.