CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

5 de nov de 2009

Você Está em Guerra


Se você é um crente no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, então você também declarou rebelião contra Satanás.
Talvez você não se apercebesse disso; talvez você ainda não saiba que a Bíblia ensina ser Satanás o príncipe da potestade do ar (Efésios 2.2) e o deus deste século (2 Coríntios 4.4), e que, antes de você ser salvo, Satanás trabalhava em você como um dos filhos da desobediência (Efésios 2.2). Uma vez salvo, você se tornou um soldado importante na maior guerra jamais combatida, a guerra espiritual pelejada entre o poder de Deus (luz) e as forças de Satanás (trevas).
Como vamos descobrir nas próximas páginas, a Bíblia claramente ensina todas essas verdades. Além disso, a Bíblia ensina que cada crente tem que aprender como guerrear nessa batalha.
A Bíblia é nosso manual de combate, e nela encontramos as instruções vitais de que precisamos para combater Satanás e seus dois grandes aliados, o sistema mundano e a natureza pecaminosa.

Oharemos para cada um destes três inimigos: o diabo, o mundo e a carne. Descobriremos os grandes princípios que Deus nos deu para derrotarmos esses inimigos em nossa vida pessoal.
Veremos com mais clareza o papel do crente nesse drama espiritual.
E finalmente entenderemos que nosso conhecimento desses ensinos compreende os pontos fundamentais da vida cristã.

Infelizmente, os ensinamentos atuais da grande doutrina da batalha espiritual têm induzido os crentes a se concentrar quase que exclusivamente em batalhas com Satanás e os demônios.
Se essa fosse verdadeiramente a ênfase das Escrituras, não haveria problema.
No entanto, pelo fato de esse não ser o ponto central das Escrituras, mas apenas um dos aspectos do ensino, essa ênfase em demasia é enganosa e até perigosa.
Ela se torna perigosa quando leva os crentes a se concentrar em ataques e soluções em apenas um setor da guerra espiritual, deixando os crentes vulneráveis a ataques dos outros dois setores.
A Bíblia comunica claramente que a guerra espiritual acontece simultaneamente em três frentes de combate: o diabo, o mundo e a carne.
Devemos agir da mesma forma.

Assim como um técnico de futebol estuda os vídeos das partidas do seu oponente antes de um grande jogo para descobrir suas táticas e estratégias, assim o crente precisa saber as estratégias, táticas e habilidades de seus inimigos antes de efetivamente se rebelar contra eles.
Em outras palavras, devemos entender a natureza da rebelião e contra quem estamos nos rebelando, antes de poder entender corretamente o que devemos fazer.
Ao examinar as vidas de grandes santos e grandes batalhas nas Escrituras, podemos ver estratégias do inimigo e aprender princípios para evitar ciladas e ataques do diabo, armadilhas do mundanismo, e os impulsos de nossa própria natureza pecaminosa.

Tendo entendido a guerra espiritual da qual fazemos parte, devemos decidir o que fazer.
Como viver no mundo sem nos tornarmos mundanos?
Como ter vitória sobre a sensualidade da carne?
E o que significa resistir ao diabo?
Precisamos de discernimento bíblico em como seremos atacados, de maneira que saibamos o que fazer para nos proteger.

Muitos crentes hoje estão perdendo a batalha na guerra espiritual porque não têm um conhecimento adequado da Palavra de Deus.
Isso tem levado alguns a práticas ocultas, as quais têm sido habilmente disfarçadas como técnicas de auto-ajuda "neutras".
Outros têm um pé no mundo e outro na Bíblia, e não conseguem entender porque princípios bíblicos não funcionam para eles.
A derrota é comum porque nossas vidas não estão fundamentadas em princípios verdadeiramente bíblicos, mas sim no alicerce movediço da experiência humana.

À medida que pesquisamos boa parte da literatura contemporânea escrita para crentes, descobrimos uma vasta gama de idéias, muitas das quais são mutuamente contraditórias.
Tanto os assuntos quanto as soluções diferem grandemente.
Temos lido muitas argumentações que parecem boas a respeito de guerra espiritual e que não têm base bíblica para o ensino.
Algumas ensinam que crentes podem ser possuídos por demônios enquanto outras ensinam que não podem.
Se uma das perspectivas é certa, então crentes devem viver de certa forma e as soluções para o problema devem estar em certa direção. Se a outra perspectiva é certa, então os problemas e soluções oferecidos pela primeira são irrelevantes.
Como encontrar nosso caminho nesse labirinto de idéias, e encontrar verdades eternas sobre as quais construir nossas vidas?

Cremos que a Bíblia é nossa autoridade suprema, e que só Deus tem conhecimento e entendimento suficientes, tanto dos nossos inimigos quanto da nossa natureza humana, para nos informar corretamente acerca do conflito espiritual e o que fazer a respeito dele.
O crente deve sempre ser como os homens e mulheres de Beréia, que receberam o mais alto elogio do apóstolo Paulo porque não apenas receberam sua palavra, mas examinaram as Escrituras diariamente a fim de verificar seu ensino (Atos 17.11).

Outras vezes, o erro se insinua porque confiamos em interpretações de experiências ou testemunhos pessoais que podem não concordar com as Escrituras.
Isso acontece especialmente no que diz respeito a Satanás e aos demônios, e o que eles podem fazer com os crentes.
Testemunhos de missionários trabalhando entre tribos pagãs, onde há muita atividade demoníaca, são usados para sustentar certa linha de ensino.
Como essas histórias deveriam ser avaliadas, especialmente se algumas dessas ocorrências são usadas para sustentar uma posição e outras para sustentar uma posição contrária?
É válido apelar para esses tipos de experiência a fim de encontrar a verdade?

Antes de termos qualquer esperança de vitória sobre o pecado e o maligno, que são parte do nosso universo, temos que entender primeiro o papel da Palavra de Deus. Muito do que é ensinado hoje contém testemunhos de experiência pessoal ou de experiências de terceiros.
Temos que descobrir como considerar esse testemunho, e procurar continuamente determinar uma maneira verdadeira, bíblica de encarar a batalha espiritual.
A negligência em fazer isso é uma razão pela qual tantos crentes são impotentes na batalha.
Ou eles perderam o firme fundamento da Palavra de Deus, ou enfraqueceram drasticamente esse fundamento por confiar em interpretações de experiências que são contrárias ao que a Bíblia claramente ensina.

Quando você terminar de ler este livro, esperamos que possa entender a diferença entre a maneira mundana, quase supersticiosa de encarar Satanás, que tem invadido muitas de nossas igrejas, e a verdadeira perspectiva bíblica do maligno e nosso chamado para a guerra espiritual.
Oramos para que você se arme com a verdade das Escrituras e permaneça firme contra as artimanhas do diabo e seu grande engano.
(Thomas Ice e Robert Dean Jr - www.chamada.com.br)

Nenhum comentário: