CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

9 de nov de 2009

MISSÕES, PREGAÇÃO E RECOMPENSA Uma vez chamado, não há desculpas para desobedecer


Muito se especula em nosso tempo a respeito do salário de obreiros, se têm ou não direito a ajuntar para si tesouros aqui na terra.

Jesus não deixou dúvidas a esse respeito, quando, prevenindo seus discípulos quanto à tentação de amealhar fortuna mediante a pregação, ordenou-lhes: não possuais ouro nem prata, nem cobre em vossos cintos; nem alforjes para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordão; porque digno é o operário do seu alimento.
Mt 10.9,10.

Mais tarde, Paulo, o grande missionário, detalhando ainda mais o texto de Mateus, declara:
Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta esta obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho.
Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes, a tempo e fora de tempo, redargúas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.
1Co 9.16; 2Tm 4.2,3.

Eis aí a obrigação do missionário, o pregador por excelência.
Ao cumprir a tarefa a que foi chamado, é, portanto, digno de seu salário.
Isto significa que deve ser-lhe garantido o devido sustento, com o qual possa viver dignamente, junto com sua família, no lugar para onde for enviado, seja em países distantes ou em seu próprio país, em missões nacionais ou locais.

Missionário é pregador e atalaia.
Ensina, orienta, mas também exorta o ímpio contra a impiedade.
Se não o faz, corre o risco de ser também repreendido por Deus, como bem expressa o profeta Ezequiel, dizendo:
Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e os avisarás da minha parte.
Quando eu disser ao ímpio: certamente morrerás; não o avisando tu, certamente aquele ímpio morrerá na sua maldade, mas o seu sangue da tua mão o requererei.
Ez 3.17,18.

Eis a razão pela qual Paulo se sentia obrigado a pregar.
Uma vez chamado, não há desculpas para desobedecer, pois Deus vai com ele.
É marcante o exemplo de Jonas.
Tentando eximir-se de atender ao chamado de Deus, querendo ele próprio prover punição aos ninivitas, que eram um verdadeiro tropeço para Israel, viu-se em apuros, e custou-lhe caro o desvio.
Deus queria salvar os ninivitas e contava com Jonas.
Deus quer salvar os pecadores e conta com o trabalho e o fervor missionário de sua Igreja.
Nossa recompensa não é aqui.

Alegrai-vos, disse Jesus aos seus discípulos.
Não porque os demônios se vos submetem, mas por estarem os vossos nomes escritos nos céus.
O sustento do missionário não se constitui em sua recompensa.
Esta lhe será entregue naquele dia, quando ouviremos de Jesus o vinde, benditos de meu Pai.
Recebei por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.
Amém.

Pr. Paulo Ferreira

Missão Evangélica Global

Nenhum comentário: