CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

29 de mar de 2010

A mulher cristã e sua auto-estima (The Christian woman and her self-esteem)

Um assunto que tem sido muito comentado na atualidade e que tem sua importância no desenvolvimento humano é a auto-estima, apesar de ser freqüentemente tratado de maneira superficial, como se fosse apenas ter pensamentos ou palavras positivas.

E, mesmo que tenham surgido muitas publicações, palestras e pregações sobre o tema principalmente no final do século passado, a história nos mostra que a auto-estima não é um assunto tão novo assim. No século XVI, o filósofo Michel de Montaigne já afirmava que “A pior desgraça para nós é desdenhar aquilo que somos.”
Segundo a Bíblia, somos a imagem e semelhança de Deus (Gn 1.26).
A própria Bíblia nos traz diversas passagens que referenciam a questão do valor que devemos nos dar (Jo 15.16; Rm 8.37; 1 Co 3.16, 17; Ef 1. 3-5; Fl 3. 12-16).

A auto-estima vai muito além do que existe na literatura moderna sobre o tema.
E é preciso considerá-la como um assunto de importância singular, especialmente dentro das igrejas.
Estudos têm sido realizados constantemente para avaliar a auto-estima das pessoas. Uma pesquisa publicada na Revista Veja (ed. 2015, de 4 julho de 2007 ) mostra que 59% dos brasileiros sofrem de baixa auto-estima, o que confere maior relevância ao tema, confirmando a necessidade de ser tratado com seriedade.

Nós, mulheres cristãs, devemos ter como referencial a Bíblia, onde vemos que somente Deus consegue determinar o valor real de cada ser humano.
E auto-estima é uma tentativa de determinarmos nosso próprio valor.
É o conjunto de crenças e atitudes que temos em relação a nós mesmos, como:
apreço, consideração, carinho, amor...
Podemos então aumentar nossa auto-estima se melhorarmos a consciência que temos de nós, se nos avaliarmos como somos e agirmos com coerência.

Jesus disse:
“Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”
(Mt. 22. 39) Esse texto nos deixa bem claro que, sem aceitação e amor para conosco, não haverá aceitação e amor para com o próximo.
O amor próprio é parâmetro para o amor ao próximo.
Deus não condena o amor próprio e, se ele fosse nocivo, o mandamento seria amar ao próximo mais do que a si mesmo.
Ainda, o apóstolo Paulo reconheceu o próprio valor quando sua autoridade apostólica foi questionada
(2 Co. 10 e 11).

Auto-conhecimento é o que precisamos ter, pois quanto mais nos conhecermos, apesar do surgimento de imperfeições que não conhecíamos, maiores serão nossas condições de estabelecermos uma auto-estima saudável.
Deus nos conhece na nossa essência e nos quer como mulheres:

Que conhecem seu valor (o valor que Ele nós dá e que não é pouco);

Que procuram aperfeiçoar-se cada dia mais;

Que confiam inteiramente em Deus e não em seus próprios atos;

Centradas Nele e não no “eu”;

Que não se desprezam, pois esse é um sentimento que o Senhor não tem por nós.

Sejamos mulheres valorosas como a mulher de Pv. 31.
E que o Espírito Santo nos impulsione a sermos equilibradas e a termos uma adequada auto-estima.
O inimigo sabe que a mulher é o equilíbrio do lar, por isso ele tenta desestabilizar a mulher para atingir toda a família.
Nosso papel é o de ser sempre ajudadoras idôneas (Gn. 2.18) e um canal de bênçãos (Pv. 14.1) para nossos familiares.

Desse modo, cuidar do nosso corpo, da nossa saúde, desenvolver nossas habilidades, aprimorar cada qualidade que Deus nos deu, saber trabalhar nossas imperfeições, não tentar seguir padrões irrealistas, principalmente os adotados pela mídia, são manifestações de amor-próprio legítimo (Deus as aprova) que podem ajudar-nos a melhorar a auto-estima.

Que Deus nos abençoe, dando-nos condições de desenvolver e manter uma auto-estima saudável, cuidando para não exagerarmos na auto-valorização, cuidando para não sermos soberbas, mas reconhecendo que, diante Dele, diante de nossa família, diante da sociedade e da Igreja, temos um valor, temos algo bom a oferecer.

TRANSLATED FROM PORTUGUESE TO ENGLISH


A subject that has been much talked about today and what is its importance in human development is self-esteem, although it is often treated superficially, as if just having positive thoughts or words.

And even if there have been many publications, lectures and sermons on the subject especially at the end of last century, history shows us that self-esteem is not a new issue as well. In the sixteenth century, the philosopher Michel de Montaigne already stated that "The worst disaster for us is what we despise."
According to the Bible, we are the image and likeness of God (Gen. 1:26).
The Bible itself gives us many passages referring to the question of the value that should give us (John 15:16, Rom 8:37, 1 Corinthians 3:16, 17, Eph 1. 3-5, 3rd Fl. 12-16).

Self-esteem goes far beyond what exists in the modern literature on the subject.
And we must consider it as a matter of singular importance, especially within churches.
Studies have been conducted constantly to assess self-esteem. A survey published in Look Magazine (ed. 2015, July 4, 2007) shows that 59% of Brazilians suffer from low self-esteem, which gives greater relevance to the subject, confirming the need to be taken seriously.

We Christian women should have as a reference to the Bible, where we see that only God can determine the real value of every human being.
And self-esteem is an attempt to determine our own worth.
The set of beliefs and attitudes that we have about ourselves, such as:
case, consideration, kindness, love ...
Then we can increase our self-esteem to improve awareness of ourselves, if we evaluate how we are and act consistently.

Jesus said
"Thou shalt love thy neighbor as thyself."
(Matt. 22. 39) in this text makes clear that, without acceptance and love toward us, there is acceptance and love for our neighbor.
Love itself is a parameter for the love of neighbor.
God does not condemn self-love and, if it were harmful, the commandment was to love your neighbor more than himself.
Still, the apostle Paul recognized the value itself when his apostolic authority was questioned
(2 Corinthians 10 and 11).

Self-knowledge is what we need, because the more we know, despite the appearance of imperfections we did not know, the better our conditions and establish a healthy self-esteem.
God knows us in our essence and we want as women:

Who know their value (the value that he gives us and that is not little);

Seeking to improve themselves every day more;

That rely entirely on God and not on their own actions;

Rooted in Him and not the "I";

That does not despise, since this is a feeling that the Lord has for us.

Let us be brave women like the woman of Prov. 31.
And the Holy Spirit urges us to be balanced and have a proper self-esteem.
The enemy knows that the woman is the balance of the home, so he tries to destabilize the woman to reach the whole family.
Our role is to be always help meet (Genesis 2:18) and a channel of blessings (Prov. 14.1) for our family.

Thus, care for our bodies, our health, develop our skills, improve every quality that God gave us, how to work our imperfections, not try to follow standards unrealistic, especially those adopted by the media, are manifestations of legitimate self-love (God the approved) that can help us to improve self-esteem.

May God bless us, giving us a position to develop and maintain a healthy self-esteem, taking care not to exaggerate the self-esteem, taking care not to be superb, but recognizing that, before him, in front of our family, to society and the Church have a value, we have something good to offer.

Nenhum comentário: