CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

10 de abr de 2010

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os s

O que estão dizendo a respeito de amor?

Diariamente somos bombardeados pelos meios de comunicação com conceitos ambíguos de amor, paixão, sexo.
fazem-nos crer que amor é paixão ou sexo.
Mostram-nos casais apaixonados que invariavelmente tem relacionamentos sexuais.
As consequências disso são muitas, mas eu destacaria duas.
A primeira delas, os solteiros são condicionados a pensarem que todo relacionamento de amizade deve culminar na cama.
A segunda, por parte dos casados, imaginando que se a relação sexual não for perfeita, tem-se o direito de trair o cônjuge, e até mesmo partir para o divórcio.
Podemos garantir que é algo muito mais amplo do que a TV, o cinema, ou os poetas têm conseguido definir.
"Ao contrário do senso comum, o amor não é apenas um sentimento. Ele é uma escolha diária a ser demonstrada no casamento, na família e nas amizades. Certamente, nada difícil quando tudo vai bem.
O desafio se apresenta nas circunstâncias que estressam os relacionamentos.
" Amor é um Verbo, Gary Chapman.
O amor é, sim, o componente essencial para sobreviver nos relacionamentos.
Uma escolha diária que precisa ser tomada, especialmente em situações extremas.
A palavra amor que usamos no português, encontra no grego cinco outras palavras, que mostram diferentes aspectos do amor.
Vamos ver cada um desses aspectos nos próximos textos.

Bibliografia:
Casamento

Reavaliar para crescer,

Sérgio e Magali Leoto,

Abba Press.

AMOR PARTE 2

Vamos analisar agora, cada um dos aspectos dessa palavra amor.

1 - Amor físico (desejo sexual, do grego EPITHUMIA)

Não se pode dizer que seja o aspecto mais importante em um casamento, mas é um bom indicador da saúde da vida a dois.
Deixamos de nos relacionar fisicamente quando as tensões em outras áreas são fortes (comunicação, finanças, perdão, etc).
Nos casamentos mais felizes, os casais descobrem que podem sempre melhorar sua vida sexual, através de um maior conhecimento, compreensão e sensibilidade mútua.
O desejo físico jamais deve ser ignorado no casamento.

"O homem deve cumprir o seu dever como marido, e a mulher o seu dever como esposa." 1Coríntios 7:3.
A pergunta que você deve responder:

"Eu sou o(a) amante do meu cônjuge?"

2 - Amor emocional (afeição romântica, do grego EROS)

Não encontramos a palavra EROS no Novo Testamento, mas seu equivalente hebraico é usado no Velho Testamento.
A idéia fundamental é a de romance.

Nem sempre EROS é sensual.

É na verdade um amor romântico, apaixonado e sentimental.
O problema: precisa de ajuda, ser alimentado, é mutável e não dura a vida inteira sozinho.

Isto significa que se você não fizer nada ele vai morrer.
Nossa base bíblica para esse amor é o livro de Cantares.

Um livro repleto de amor emocional, cheio de afeição romântica.
A pergunta que você deve responder:

"Eu sou o(a) namorado(a) do meu cônjuge?"

3 - Amor social (associação leal, do grego STORGE)

Todo ser humano tem a necessidade de pertencer a um grupo.

Faz parte da natureza humana, somos seres sociais.

Quando fazemos parte de "algo" nos sentimos realizados.
Esse aspecto do amor dá a um cônjuge necessidade de pertencer um ao outro.

Eu faço parte da vida dela, ela faz parte da minha vida.

Eu deixo de enchergar as coisa com sendo simplesmente "eu", e passo a ver como "nós".
Existe também uma outra idéia implicita nesse aspecto do amor:

A defesa e refúgio emocional.

Veja o texto de Eclesiastes 4:9-12:
"Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.

Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.

Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará?

E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa."
A pergunta que você deve responder:

"Eu sou o(a) sócio(a) do meu cônjuge?"

4 - Amor intelectual (amizade íntima, do grego PHILEO)

Significa querer bem, mostrar afeição pela pessoa amada.

Mas esse amor espera ser correspondido.
Envolve coisas como camaradagem, partilha, comunicação e amizade.

O amor intelectual divide pensamentos, sentimentos, atitudes, planos e sonhos, coisas íntimas e particulares.

Compatilham seu tempo e interesses.
Um casamento sem amizade íntima será insatisfatório, mesmo com muito prazer na cama.
A necessidade maior desse amor,

Para que ele exista, é transparência total com o cônjuge.
A pergunta que você deve responder:

"Eu sou o(a) melhor amigo(a) do meu cônjuge?"

5 - Amor sobrenatural (serviço sacrificial, do grego AGAPE)

Foi esse amor que trouxe Cristo à Terra.

Deus ama toda a humanidade com este tipo de amor.
"Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco:

que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos.

Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados."

1João 4:9-10
Esse aspecto do amor é totalmente desprendido, tem a capacidade de dar e continuar dando, sem esperar nada em troca.

Ele valoriza e serve a outra pessoa.
É amor ativo, não é uma simples emoção, mas é ação.

Não é o que sinto, mas o que faço.

Amar é dar, suprir necessidades, é servir.
É amor volitivo, isto é, depende da minha vontade, eu tenho que decidir amar.

Não é para esperar acontecer.
É amor incondicional, devo amar mesmo que não seja correspondido.

Não apresento uma lista de regras ao outro como condição para que eu ame.

Amo, sem impor condições.
A pergunta que você deve responder:

"Eu sou o(a) servo(a) do meu cônjuge?"

Na sequência, vamos ver como podemos desenvolver cada um desses aspectos.


Escrito por Eliseu Schmidt

Nenhum comentário: