CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

18 de mar de 2010

O Desafio

Seguir Jesus como Salvador e Senhor

O Antigo Testamento nos ensina muitas coisas importantes.
Dos livros mais antigos da Bíblia aprendemos quem é Deus, quem somos nós, e como o pecado nos separa do Criador.
O Velho Testamento preparou o caminho para a vinda do Messias.
Nestes livros percebemos bem o problema do pecado e a incapacidade do homem de resolvê-lo.
Ao mesmo tempo, várias profecias do Velho Testamento falaram do Ungido que viria para salvar e reinar sobre os homens.
Mas é necessário chegar ao Novo Testamento para realmente conhecer o Salvador e para entender como servir ao Senhor hoje
Vamos considerar melhor o nosso relacionamento com Jesus nestes dois papéis importantes dele.

Jesus Cristo como o Único Salvador

Na nossa sociedade pluralista, a mensagem da cruz se torna cada vez menos aceitável. Para muitos, a fé exclusiva em Jesus não é politicamente correta.
O ecumenismo domina o pensamento de um povo que tolera tudo, menos a verdade!
Mas a Bíblia não deixa margem neste ponto:
“Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida”
(1 João 5:12).

O Desafio de Seguir o Salvador

Jesus apresentou três elementos fundamentais do discipulado
(Marcos 8:34):

(1) Negar a si mesmo.
Mas o mundo diz:
“Seja realizado e agrade a si mesmo!”

(2) Tomar a sua cruz.
Mas o mundo diz:
“Fuja do sofrimento!”

(3) Seguir Jesus.
Mas o mundo diz:
“Siga o caminho que você acha melhor.”

Até no mundo religioso, entre os que se chamam cristãos, o apelo de Jesus tem sido totalmente distorcido.
Considere as mensagens pregadas em muitas igrejas hoje curas, prosperidade, “pare de sofrer” e compare estas idéias às palavras de Jesus.
As pessoas que pregam estas mensagens não estão nos chamando a sermos seguidores verdadeiros de Jesus.
Seguir Jesus como Salvador é um desafio que mudará radicalmente a nossa vida.
Jesus ensinou uma lição prática sobre a humildade e serviço e disse:
“Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”
(João 13:15).
Seguir o Salvador até significa sofrer por ele:
“Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos”
(1 Pedro 2:21).

Seguir a Jesus quer dizer que precisamos aprender falar como ele falava, agir como ele agia, amar como ele amava e pensar como ele pensava.
É um desafio e tanto!

O Desafio de Obedecer o Senhor

Muitos querem Jesus como Salvador, mas não o querem como Senhor.
Querem a bênção da salvação, mas não o compromisso da submissão.
Aceitar Jesus como Senhor exige uma transformação radical.
Jesus afirmou sua própria soberania.
As palavras dele vieram do Pai e serão a base do julgamento dos homens
(João 12:44-50).
Ele disse que a obediência a ele é necessária para ter comunhão com Deus
(João 14:23).
Também afirmou que toda a autoridade foi dada a ele (Mateus 28:18-20).
O Pai lhe deu esta autoridade.
Uma vez que Jesus tem toda a autoridade, nós devemos guardar tudo que ele ordena. Esta obediência faz parte da definição do verdadeiro discípulo.
O Pai afirmou a soberania de Jesus.
O relato de Mateus 16 trata de momentos de crise na vida dos apóstolos.
Eles enfrentavam as ameaças de falsas doutrinas (16:1-12).
Pedro confessou a sua fé, mas logo em seguida vacilou e foi repreendido por Jesus (16:13-23).
Jesus aproveitou o momento para ensinar sobre o sacrifício e compromisso necessários para ser discípulos (16:24-28).
Pedir compromisso total num ambiente de dúvida e contradição requer uma base sólida para estabelecer a fé.
Deus sabia disso!

Continuando no mesmo contexto, encontramos o relato de um evento singular a transfiguração de Cristo (Mateus 17:1-8).
Jesus levou três dos apóstolos para um monte onde a sua natureza divina brilhou visivelmente.
Apareceram dois heróis do Antigo Testamento, Moisés e Elias, mas logo sumiram para deixar lugar para uma só autoridade, Jesus.
O Pai acrescentou seu carimbo de autoridade quando disse:
“Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi” (17:5).
Moisés e Elias sumiram, e só Jesus ficou!

Outros, inspirados pelo Espírito Santo, afirmaram a soberania e a autoridade de Jesus.
Jesus é o fundamento (1 Coríntios 3:11), a pedra angular (1 Pedro 2:7-8).
Ele é “o cabeça sobre todas as coisas” (Efésios 1:22), “para em todas as coisas ter a primazia” (Colossenses 1:18).
Tudo que fazemos deve ser feito com a autorização dele (Colossenses 3:17).
Jesus Cristo é “o Soberano dos reis da terra”
(Apocalipse 1:5).

O Perigo de Desrespeitar a Palavra do Rei

Agir sem permissão é a mesma coisa de mudar ou remover a lei.
Podemos ilustrar este princípio importante observando o argumento apresentado em Hebreus 7:11-14.
A lei do Antigo Testamento não deu permissão para Jesus ser sacerdote.
A lei autorizou sacerdotes da tribo de Levi, mas Jesus veio de Judá.
Não precisava de uma proibição específica, porque a lei não deu permissão:
“pois é evidente que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo à qual Moisés nunca atribuiu sacerdotes” (7:14).
Jesus se tornou sacerdote, mas não de acordo com a lei do Antigo Testamento.
Quando fez algo que a lei não autorizou, ele mudou ou removeu a lei (a palavra para mudança no 7:12 vem da mesma raiz grega da palavra remoção no 12:27).
Jesus tem autoridade para mudar a lei (Mateus 28:18).
Ele removeu o primeiro testamento e deu o Novo Testamento (Hebreus 10:9; 8:6).
Agora nós vivemos sob a Nova Aliança dada por Jesus.
E nós não temos autoridade para mudar ou remover sua palavra.
Se agirmos sem a autorização do Novo Testamento, estaríamos mudando a palavra de Jesus.
Percebemos a importância de agir somente conforme a permissão dada por Jesus, nunca indo além da sua palavra.
Este ponto é fundamental para entender a confusão religiosa atual e como sair dela. Devemos deixar de lado as tradições humanas, pois invalidam a palavra de Deus (Marcos 7:13).
Precisamos rejeitar doutrinas humanas, pois o ensinamento delas torna vã a adoração a Deus (Marcos 7:6-9).
Quando olhamos para as diversas denominações fundadas por homens para divulgar doutrinas humanas, devemos lembrar das palavras de Jesus:
“Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada”
(Mateus 15:13).

Aqueles que realmente querem servir a Jesus como Senhor precisam ficar dentro dos limites da sua palavra, não ultrapassando o que está escrito na Bíblia (1 Coríntios 4:6).
Jamais devemos brincar com a palavra de Deus, pois “Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho”
(2 João 9).

Conclusão

Onde os homens pregam diversos caminhos, Jesus oferece um só.
Onde os homens pregam doutrinas próprias, Jesus oferece a única verdadeira.
Os caminhos dos homens levam à morte, mas Jesus oferece a vida eterna
(Jeremias 10:23; Provérbios 14:12).

Nenhum comentário: