CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA

CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA
CIRCULO DE ORAÇÃO DE SOROCABA - SEDE

1 de mar de 2010

Vestes da Moda Moderna Visam Não Vestir, Mas “Despir com Arte”

A crescente onda de pornografia e prostituição que invadem o mundo é o resultado da filosofia do nudismo posmoderno ou filosofia playboy, cujo ensino maior é: “tudo que der prazer deve ser buscado”.
O maior veículo de divulgação desta filosofia, é o nudismo parcial da moda atual, do estilo Calvin Klein, cujas roupas são feitas para “despir com arte” aquelas partes potencialmente sensuais do corpo (partes do ombro, seios, axila, barriga, coxas); partes estas destacadas e realçadas por roupas colantes, transparentes, cavadas, decotadas, lascadas, sem mangas, cinturadas, etc...).

Tecidos cada vez mais finos, brilhantes e realçadores das formas do corpo são confeccionados para serem usados em calças compridas que realçam a redondeza das nádegas, as formas roliças das coxas, a saliência dos órgãos genitais, a redondeza e volume dos seios, o cavamento da cintura realçando ainda mais o volume das nádegas, além dos sapatos com saltos altos, não somente para tornar a pessoa mais alta, mas, também, para arrebitar as nádegas e possibilitar um andar não natural, com rebolado sensual e provocante, etc... De modo que, o conjunto destas coisas em uma mulher, a torna um poço de sensualidade e lascívia, onde a sua nudez parcialmente revelada é um desafio e estimulo ao desejo de se conhecer à parte proibida que ficou oculta ou coberta.
Porém, estes tecidos moles, brilhantes e transparentes podem ser usados em vestidos e saias compridas que se grudam a corpo deixando a pessoa visivelmente nua, embora não se consiga ver a cor da pele, dá para saber-se praticamente como é os contornos e formas do corpo da pessoa.
Esta nudez parcial chega a ser pior, de danos maiores que o nudismo explícito, completo e explicitamente pornográfico.
O nudismo parcial, força a imaginação a pensar como é o resto que ficou escondido. Gerando assim, as “fantasias e sonhos eróticos”, que consistem em imaginar a pessoal má vestida, em situação em que se encontre toda nua e, às vezes em situações de fornicação e adultério.
Estas fantasias eróticas, despertadas pela vestimenta erotizante, progressivamente forçam a saída da tela da imaginação, para a tela da vida prática, ou seja, as fantasias eróticas são as sementes da fornicação, do adultério e de todas as aberrações sexuais, inclusive estupros seguidos de morte.
É triste quando o povo de Deus se assemelha ao povo do mundo e quando os profetas e pregadores de Deus têm de dizer do povo de Deus o que Jeremias teve de dizer acerca do povo de Israel: “Serão envergonhados, porque cometem abominação sem sentir por isso vergonha; nem sabem que coisa é envergonhar-se.
Portanto, cairão com os que caem; quando eu os castigar, tropeçarão, diz o SENHOR” (Jr 8:12).

A incapacidade de sentir vergonha e a incapacidade para discernir de quais coisas deve envergonhar-se e manter pudor e distancia, tem contaminado a igreja de nossos dias.
Por isso, o autoproclamado cristão que pelo vestuário lascivo induz alguém a fantasias eróticas, também será responsável e culpado perante Deus, pela queda de tais pessoas e dos seus pecados e aberrações e crimes sexuais, tais como estupros, e estupros seguidos de morte.
Vestir-se de modo provocante e lascivo, mesmo que seja discretamente, equivale a escandalizar ou fazer tropeçar, não só aos perdidos, mas, até aos pequeninos do Senhor. Com certeza fazer os pequeninos do Senhor cair em pecado não ficará barato para quem disso for culpado.
Devido, em parte, a falta de vergonha, pudor, descaramento e falta de temor a Deus com que muitas adolescentes, moças e senhoras da igreja se vestem, ou deveríamos dizer, se despem vestindo roupas desnudantes a igreja está sendo inundada pela lama lasciva e imoral do mundo.
Está aumentando grandemente o número de pessoas que se autoproclamam evangélicas e que estão caindo em fornicação (sexo entre pessoas que nunca casaram) e adultério (sexo que envolva pelo menos uma pessoa casada), e outros graves pecados como namoro lascivo, escravidão à pornografia, masturbação, etc....

As obras más da igreja hodierna devido a sua a infidelidade e amizade com o mundo a mergulham na mesma lama do mundo, acabando de matar a sua fé, já quase moribunda, tornando-a incapaz de dar vida e salvar.
O Pr. Barbosa Ferraz, tratando da situação família na igreja, deixou claro que a igreja está inundada pelos mesmos problemas de imoralidade sexual que estão destruindo a sociedade mundana e fez a seguinte radiografia desta trágica situação:

“Ao estudarmos a estrutura da família na igreja, percebemos ... que mesmo com tanta informação, o número de “mulheres” (na realidade a maioria ainda adolescente ou jovem) que casam grávida na igreja é cada vez maior, também o número de separados, ou de traição no casamento é algo surpreendente.
Isto nós vemos não apenas nos membros de igrejas, mas o que mais assusta é que nos últimos anos o número de pastores e líderes que caíram em adultério é algo assustador e preocupante.
A quantidade de pessoas separadas ou amasiadas que entram para a igreja é cada vez maior.
Ao olharmos os últimos dez, vinte anos atrás, percebemos como a estrutura familiar decaiu para um subnível alarmante.
O número de mães solteiras é cada vez maior em nossas igrejas, afetando assim a estrutura do adolescente ou jovem, que tão cedo assume uma grande responsabilidade de ser mãe.
Isto ocorre porque muitos casais se envolvem um com o outro apenas pela atração sexual, ou pelo sexo em si, e não mais pelo amor e compromisso, isto porque possuem medo de um relacionamento mais duradouro, pela própria insegurança em si e no companheiro”.
A cada escândalo de natureza sexual, a igreja vai perdendo a sua credibilidade e o seu caráter diferencial exigidos na sua missão de sal da terra e luz do mundo.
O Senhor, chegou , até mesmo a admitir que a igreja não conseguiria evitar o assanhamento e tara dos escandalosos sexuais que se infiltram na igreja do Senhor, porém, Ele alertou para o terrível ai de maldição que cairia sobre os tais escandalosos.
Lc. 17:1-2 - [1] Disse Jesus a seus discípulos: É inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm!
[2] Melhor fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e fosse atirado no mar, do que fazer tropeçar a um destes pequeninos.
Os tais escandalosos infiltrados na igreja querem exibir a todo custo o seu corpo bem malhado e aprazível, com suas formas, curvas e sensualidade provocadores de cobiça. Toda a indumentária é lasciva, além das vestes que despem em vez de vestirem, desde o lascivo batom colorido e brilhante, ao sensual realce da pintura dos olhos, ao perfume provocante, os sorrisos e olhares impudentes, do andar rebolando a fala articulada de modo sensual.
Tudo isso provoca uma ânsia por sexo dentro da igreja ou entre os santos, pelo menos deveriam sê-lo.
Querem sexo já, sem ter de esperar nada.
Querem sexo, mesmo que tenham de adulterar a Bíblia para conseguir respaldo e consciências auto enganadas.
Sexo no namoro ou no noivado.
Mesmo depois de casados querem continuar provocantes e desejáveis pelo sexo oposto, recebendo cantadas, ou olhares cobiçosos.
Com o passar do tempo a ânsia por sexo maligno e antibíblico (fora dos limites do primeiro e único casamento válido, a não ser recasamento por viuvez) cresce produzindo, múltiplos escândalos: fornicações, adultérios, abortos, divórcios e recasamentos múltiplos.
A Bíblia é muito clara em dizer que SOMENTE aos solteiros e viúvos é “melhor casar do que viver abrasados”, aos casados que não se apartem ou não se divorciem do seu cônjuge, se o divórcio acontecer que não se recasem, mesmo que o cônjuge fosse descrente, e que o recasamento válido perante Deus, só é possível após o falecimento do cônjuge ou aos viúvos.
Isto, porque, Deus abomina o divórcio (Ml 2:16).
O verdadeiro crente imitando a Deus abomina o divórcio.
É fiel defensor do lar.
Porém, como subproduto do clima sensual e de sedução que reina na maioria das igrejas, além de outros fatores, especialmente o vestuário mundano, parece que os crentes amam o divórcio.
Há outros fatores que incrementam o escândalo, violência e a falta de temor a Deus dos divórcios e recasamentos no meio cristão, entre elas, a ignorância por parte de alguns e a clara e capciosa rejeição por parte de outros da doutrina genuinamente bíblica sobre a união válida entre um homem e uma mulher, especialmente em Mateus 19, I Coríntios 7, e Romanos 7.
Veja abaixo um breve resumo desta doutrina bíblica:

Que devido a dureza de coração, antes da época da graça, divórcio foi permitido no Velho Testamento, mas não só divórcio, mas, concubinato (casar com duas ou mais mulheres) escravidão, vender uma filha para pagar dívida, porém, todas estas impiedades pagãs, passaram com o advento da graça .

O padrão de Deus para o cristão, antes do casamento é a virgindade (nunca ter feito sexo), e se já a perdeu a virgindade, pelo menos deve guardar a castidade (não mais fazer sexo até casar), e o celibato, depois, de separação ou divórcio.
Qualquer coisa inferior a este padrão vai contra a vontade de Deus, portanto, não pode ter a aceitação nem dEle e nem de sua igreja.
II Co 11:2 – “Porque zelo por vós com zelo de Deus; visto que vos tenho preparado para vos apresentar como virgem pura a um só esposo, que é Cristo”.
Malaquias 3:5 - “E chegar-me-ei a vós para juízo, e serei uma testemunha veloz ... contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, ... não me temem, diz o SENHOR dos Exércitos”.
Hebreus 13:4 -“ Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição (fornicários) e aos adúlteros (relações sexuais ilícitas fora do casamento) Deus os julgará”.
I Co 6:10 “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus”.

Que com sexo ninguém brinca.
Não é bom tocar no sexo oposto ou provoca-lo sexualmente, mas que, quem pode licitamente casar, que busque ter o seu próprio cônjuge .
I Co 7: [1]
Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher; [2] mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido.

Que casamento tem caráter indissolúvel - Mt 19: [5]
Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne

Que Divórcio foi Proibido Definitivamente - Mt 19 :[6] “... uma só carne. ... Deus ajuntou não o separe o homem.

Que somente solteiros têm direito a casar e somente viúvos têm direito a recasar:

I Co 7: [8] E aos solteiro se viúvos digo que lhes seria bom se permanecessem no estado em que também eu vivo.
Caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado.

Que aos casados está ordenado pelo Senhor que não se divorciem, e se o divórcio vier a acontecer (por “dureza de coração” de algum dos cônjuges, conforme Mt 19:8), que a pessoa divorciada, não se recase, mesmo que o cônjuge fosse descrente.
I Co 7: [10] Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido [11] (se, porém, ela vier a separar-se, que não se case ou que se reconcilie com seu marido); e que o marido não se aparte de sua mulher.
Somente aos viúvos Deus permite recasar

I Co 7: [39] A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo, se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor.

Que mesmo aos viúvos lhes era aconselhado a não recasarem, embora, só e somente a eles fosse permitido o direito de recasar.
I Co 7: [40] “Todavia, será mais feliz se permanecer viúva”.

No caso de infidelidade conjugal persistente e sem arrependimento é permitido a vítima de adultério repudiar ou separar-se do adúltero perverso.
Mt 19:9a “Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas...”

Aos separados por divórcio, seja a parte culpado ou tida por vítima não lhes é permitido recasar, se recasarem, estarão em adultério, enquanto, não se separarem da pessoa com quem recasarem.
Mt 19:9 “ ...quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério e o que casar com a repudiada comete adultério.
( cf. Mc 10:11-12; Lc 16:18). Rm 7:2-3 “[2] Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal.
De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se (casar-se) com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias (recasar)”.

Celibato ou abstinência total de sexo , enquanto viver o cônjuge do primeiro casamento é a única opção válida perante Cristo.
Mt 19 :[12] Porque há eunucos de nascença; há outros a quem os homens fizeram tais; e há outros que a si mesmos se fizeram eunucos (celibatários), por causa do reino dos céus.
Quem é apto para o admitir admita.

Ainda, animados pelo clima sexista-nudista produzido pelo vestuário pouco modesto, e incentivados pelas facilidades divorcistas e recasamentistas das atuais igrejas evangélicas, o número de moças e senhoras casadas que recebem cantadas nas igrejas e que também, partem para cantar os homens da igreja é impressionante.
A razão disto, já começa pela tese mercadológica ou de marketing moderna, que afirma que: “quem está exibindo é por que quer vender ou dar”.
Ou como disse certa cientista social numa mesa de debate na televisão: “O vestuário de algumas mulheres funcionam como uma placa com os dizeres: me cante!”.
Deve ser por isso que as estatísticas de moças que engravidam nas igrejas evangélicas é cada vez maior, junto com o número de adultérios e divórcios com vistas a novas aventuras conjugais, ou deveríamos dizer, aventuras sexuais legalizadas?
Tenho ouvido de histórias tristes sobre as tais cantadas nas igrejas.
“Irmãos” dizendo para as “irmãs” quão linda e maravilhosa elas estão naquela roupa, ou agindo mais diretamente falando dos seus dotes corporais.
Irmãs conversando entre si, discutindo animadamente, tentando decidirem qual dos irmãos da igreja tinha as nádegas mais bonitas.
Neste clima de descaramento, falta de vergonha e temor a Deus, nem namoros, nem noivados e nem casamentos estão seguros.
O olho da cobiça desvairada, que a nada respeita e a tudo quer devorar é uma ameaça. A falta de temor a Deus, e completa ausência de vergonha e pudor é tão grande, que com a facilidade do divórcio e do recasamento nas igrejas evangélicas modernas, qualquer um ou uma, pode tomar o cônjuge do outro(a).
E é exatamente isso que está acontecendo, e irá acontecer com freqüência cada vez maior.
Sei que ainda existem umas poucas igrejas que, embora permitam divórcio e recasamentos o fazem sob as maiores restrições.
Porém, a maioria é de igrejas nudistas (vestem a moda do mundo), sexistas e permissivistas, cada vez mais, afogadas e sufocadas pelos múltiplos casos de imoralidade, divórcios e recasamentos.
É um sinal dos tempos (Mt 24:38).
Irão casando e descasando, como nos dias de Noé.
Até que veio o dilúvio e levou a todos, exceto a piedosa família de Noé, onde, podemos destacar com certeza, não havia a brincadeira ímpia de brincar de casamento e recasamento.
O mesmo dar-se com a igreja que tem a abandonado a sua vocação à santidade.
O Senhor virá buscar sua noiva, virgem e pura para as bodas do Cordeiro.
Porém, a igreja meretriz, a grande, com suas igrejas filhas, igualmente meretrizes, ficarão para serem afogadas no lodaçal fétido da sua imundície sexual realçada por sua nudez desavergonhada e sem pudor e depois queimadas no fogo do juízo divino.

Nenhum comentário: